James Safechuck e Wade Robson conseguiram uma vitória contra os representantes de Michael Jackson na justiça. Os dois homens são conhecidos pelo documentário Deixando Neverland.

A peça, lançada em 2018, traz depoimentos dos dois ex-dançarinos do cantor. Os dois afirmam que foram molestados por Michael Jackson quando eram crianças.

O Rei do Pop enfrentou dois processos por pedofilia quando ainda estava vivo, sendo que em nenhum foi condenado. Mas, agora, mais um polêmico processo pode voltar aos tribunais por conta de uma nova lei.


Vitória na justiça

O que ajuda Safechuck e Robson é uma nova lei da Califórnia (EUA). Em 2017, os dois tentaram abrir o processo, mas um juiz afirmou que isso deveria ser feito quando os acusadores tinham menos de 26 anos – na época, estavam com 36 e 30, respectivamente.

Agora, a nova lei permite que possíveis vítimas de abusos sexuais comecem processos antes dos 40 anos. Com essa lei, o caso deve ser aberto.

O advogado dos acusadores, Vince Finaldi, já celebrou em comunicado para imprensa. “Estamos orgulhosos que a corte reconheceu uma forte proteção para as crianças da Califórnia e olhamos em frente para levar os casos à justiça”, comunicou o profissional.

A família e os representantes de Michael Jackson ainda não se pronunciaram.