Uma das categorias mais equilibradas na edição do Oscar deste ano é a do tradicional prêmio de Melhor Filme Estrangeiro. Entre os cinco finalistas, se destacam o vencedor do Globo de Ouro e favorito O Filho de Saul, da Hungria; e o vencedor do Prêmio Lux do Parlamento Europeu, Mustang, da França, sobre o qual o Observatório do Cinema já chamava a atenção (veja aqui).

Porém, em uma categoria na qual costuma ocorrer surpresas, um filme se apresenta como um forte candidato ao prêmio. Trata-se de O Abraço da Serpente, representante da Colômbia. Exibido no Brasil no ano passado durante a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, o filme dirigido pelo colombiano Ciro Guerra, nos leva ao coração da Amazônia para contar a história do xamã (feiticeiro ou curandeiro) Karamakate que, após o desaparecimento de seu povo, vive sozinho, sem emoções, sem memória e com grande parte de sua cultura perdida. Um dia, Karamakate encontra dois exploradores ocidentais que estão em busca de uma planta que teria a virtude de ensinar as pessoas a sonhar. Em um período de 40 anos, o xamã guia e cuida dos dois homens brancos.

O Abraço da Serpente foi filmado em preto e branco e de uma forma magnífica. O filme mostra a cosmogonia das sociedades antigas sob o ponto de vista indígena, além de denunciar a destruição do mundo dos índios pelo ocidente e levantar questões sobre o destino, tanto individual quanto coletivo.


Não é a primeira vez que um filme feito na Colômbia mostra o mundo dos índios da Amazônia. Em 1986, o filme A Missão, dirigido por Roland Joffé (Os Gritos do Silêncio) e estrelado por Robert de Niro (Um Senhor Estagiário), Jeremy Irons (Batman vs Superman) e Liam Neeson (A Lista de Schindler) foi um grande sucesso de público e crítica indicado para sete Oscars (ganhou o de Melhor Fotografia) e vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes.

Até o momento, apenas um país sul-americano conquistou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Esse país é a Argentina, que conquistou o prêmio duas vezes: em 1986, com A História Oficial; e em 2010, com O Segredo de Seus Olhos. O Brasil já foi indicado quatro vezes, sendo a primeira vez em 1963, com O Pagador de Promessas; e a última em 1999, com Central do Brasil. Infelizmente, ainda não tivemos o gosto e o prazer de conquistar o “carequinha dourado”.

O Abraço da Serpente terá sua estreia comercial no Brasil em fevereiro, em dia ainda a ser definido.

Veja o trailer oficial de O Abraço da Serpente (com diálogos e legendas em espanhol):