Em entrevista ao Cinema Blend, o diretor Tim Miller, responsável por Deadpool, descreveu a cena que mais odiou cortar durante o processo de edição do filme do anti-herói.

“No roteiro a cena era chamada de ‘turnê mundial do câncer’, e consistia em Wade e Vanessa viajando pelo mundo, tentando encontrar uma cura para a doença dele”, contou Miller. “Eles terminam a ‘turnê’ em uma clínica bem suspeita em Guadalajara, no México, com esse médico que é um charlatão, e Wade o mata. É uma cena muito emocional, porque Vanessa testemunha esse momento em que Wade deixa o monstro que existe dentro dele escapar, e ela o vê de verdade pela primeira vez. E ele foge para longe dela, porque está tão envergonhado com o que fez”.

O diretor esclareceu que o corte acabou sendo necessário porque a cena interrompia o ritmo do filme.


Diretores de Guerra Civil estão abertos para participação de Deadpool nos filmes da Marvel

Com bilheteria mundial de US$ 754,5 milhões, Deadpool se tornou o filme mais lucrativo da franquia X-Men.

“Sequência não precisa ser maior para ser melhor”, diz diretor

Deadpool estreou em 11 de fevereiro nos cinemas brasileiros, com sua continuação já garantida, e chegará ao mercado de home vídeo em maio. Deadpool 2, no entanto, ainda não tem estreia marcada.

No longa-metragem, Ryan Reynolds volta ao papel do anti-herói, já vivido por ele em X-Men Origens: Wolverine. A brasileira Morena Baccarin (Copycat), T.J. Miller (Fuinha), Gina Carano (Angel Dust), Brianna Hildebrand (Negasonic Teenage Warhead), Ed Skrein (Ajax) e Andre Tricoteux (Colossus) completam o elenco.

Crítica | Deadpool