A atriz Mindy Kaling, de Oito Mulheres e Um Segredo, resolveu se abrir sobre o fato da maior parte dos críticos da indústria cinematográfica serem homens brancos durante uma entrevista ao Yahoo.

“Se eu tivesse que basear minha carreira naquilo que homens brancos querem, eu não teria sucesso. Então há obviamente uma audiência para filmes assim [como Oito Mulheres], e é nisso que eu trabalho, e é nisso que Sarah [Paulson] trabalha” disse a atriz.

A atriz então explicou que acredita ser injusto o modo como os críticos homens são tão poderosos atualmente. “Eu acho que críticos homens brancos podem gostar disso, podem gostar do meu trabalho, mas às vezes eu acho que vai haver um crítico que vai condená-lo porque não o compreende, porque o vê de um diferente ponto de vista, e eles são muito poderoso, os Rotten Tomatoes”.


Oito Mulheres e Um Segredo | Rihanna confessa que já roubou comida na vida real

O jogo vai virar quando Debbie Ocean (Sandra Bullock), irmã de Danny Ocean (George Clooney), tentará realizar o roubo do século na cidade de Nova York, no baile de gala anual do MET, que é repleto de celebridades.

Sua primeira tarefa é reunir o time de perfeito: Lou (Cate Blanchett); Nine Ball (Rihanna); Amita (Mindy Kaling); Constance (Awkwafina); Rose (Helena Bonham Carter); Daphne Kluger (Anne Hathaway); e Tammy (Sarah Paulson).

Damian Lewis (Billions) faz o vilão principal do filme.

A direção está a cargo de Gary Ross (Jogos Vorazes). O roteiro foi escrito por Olivia Milch (Rainha e País). Oito Mulheres e um Segredo já está em cartaz nos cinemas.