A saída de Danny Boyle, da direção do novo filme do 007, pode causar um dano maior do que esperado, caso o filme seja adiado, conforme apontam os rumores que circulam a produção. O efeito cascata acabaria causando problemas relacionados ao patrocínio do filme, com diversas marcas com as quais os produtores já assinaram contrato.

De acordo com uma fonte do jornal The Sun, o adiamento do filme pode gerar prejuízos milionários quando se trata de acordos de patrocínio.

“A ideia de adiar o filme é um desastre e pode causar grandes disputas com patrocinadores e clientes”, afirmou a fonte do jornal.


“Os produtores têm ativamente fechado acordos para carros, roupas, bebidas, telefones e relógios desde o anúncio do retorno de Daniel [Craig]”, continuou. “Esses acordos valem milhões, com grandes marcas que estão construindo campanhas ao redor do lançamento do filme em 2019”.

Bond 25 | Diretor de Big Little Lies foi convidado para dirigir novo 007

De fato, considerando que coleções, modelos novos e afins costumam sair anualmente em grandes companhias, é de se esperar que tudo tenha de ser refeito, caso o novo 007 acabe passando para 2020.

“No mundo do marketing, esses planos já estão sendo revisados e preparados, ao custo de mais milhões. Se o filme for adiado, pode ser gerado um cenário de pesadelo, com essas marcas tomando providências legais”.

A fonte, então, concluiu, dizendo que “os executivos estão tendo de reassegurar [os investidores] que tudo está seguindo conforme o planejado”.

Anteriormente, marcas como Omega, Sony, Bollinger e Heineken fecharam acordos com os filmes do 007, incluindo o mais recente, 007 Contra Spectre. Os produtores de Bond 25, portanto, podem ter um pesadelo nas mãos, caso o filme tenha, de fato, de ser adiado.

Por enquanto, a estreia de Bond 25 permanece marcada para o dia 25 de outubro de 2019.