Para comemorar os seus 85 anos, completados ainda em março, o veterano Michael Caine decidiu lançar um livro de memórias, intitulado Blowing the Bloody Doors Off: And Other Lessons in Life. Em uma das passagens, como foi revelado pela Entertainment Weekly, o ator pensou em se aposentar na década de 90.

No trecho, Michael Caine escreve que estava recebendo cada vez menos trabalhos, o que o fez voltar para TV. Na época, essa volta era considerada um fracasso, “ao contrário de hoje, com o poder de Netflix e Amazon” – como observa o ator. Em um desses poucos roteiros que recebia, Michael Caine decidiu que era hora de parar.

“Eu deveria interpretar o pai, e não o amante. Minha primeira reação à revelação de que eu era muito velho para ser o protagonista (eu estava nos 60) era de que minha carreira tinha acabado e eu teria que reinventar radicalmente o sucesso. Eu me mudei para Miami, mandei de volta alguns roteiros, comecei a escrever minha biografia e abri um restaurante. Disse a mim e aos outros que tinha parado e que estava feliz”, relembra o veterano.


Tudo mudou, conforme o próprio ator, por causa de Jack Nicholson. A estrela procurou Michael Caine, lhe ofereceu um trabalho e teria dito que a “reinvenção” de uma carreira não precisaria ser tão radical.

“Jack me trouxe o roteiro de um filme chamado Sangue & Vinho e me convenceu de que eu deveria cancelar a minha aposentadoria e voltar ao trabalho. Eu fiz isso, e a verdade foi revelada para mim – ou eu a quis enxergar: por mais feliz que eu estivesse, eu nunca seria mais feliz do que sou atuando. Especialmente com Jack, uma estrela amável e bem humorada”, escreveu Michael Caine.

O livro de Michael Caine será lançado nesta terça-feira, dia 23 de outubro.

King of Thieves | Michael Caine pediu para produção tirar palavrão do filme

Nos cinemas, o último trabalho do ator foi em King of Thieves. Ao lado de Charlie Cox, Jim Broadbent e Ray Winstone, o veterano acaba planejando um grande roubo de joias. Com exceção de Charlie Cox, os criminosos de carreira devem encarar suas idades avançadas, enquanto começam a virar uns contra os outros quando a polícia os pressiona.

O filme é baseado na história real do roubo do Hatton Garden Safe Deposit Company, que aconteceu em abril de 2015. A operação foi arquitetada e executada por homens em seus 60 e 70 anos, roubando mais de $260 milhões, no que se tornaria o maior roubo da história britânica.

Dirigido por James Marsh (A Teoria de Tudo), o longa traz, também, Michael Gambon, Ray Winstone e Tom Courtenay no elenco.

King of Thieves ainda está sem previsão de estreia para o Brasil.