Com a estreia de Robin Hood: A Origem se aproximando e críticas negativas sobre vários aspectos do filme se acumulando na internet, Otto Bathurst, o diretor do filme, deu uma entrevista para o site Yahoo na qual responde a algumas dessas críticas.

Robin Hood: A Origem | Tensão racial entre personagens foi cortada em versão final do filme

Uma das partes mais criticadas foi a amizade entre Robin Hood e Little John, um cristão e um mouro durante as Cruzadas. Tal relação nunca aconteceria no mundo real, já que durante esses conflitos, os dois grupos religiosos lutavam uns contra os outros.


“Não houve nenhum esforço em produzir um filme historicamente correto, e isso foi proposital. Nós estávamos criando uma metáfora, um espetáculo, uma fantástico e emocionante mundo novo”, afirmou o diretor.

No filme, Little John (Jamie Foxx) treina Robin Hood (Taron Egerton) para aprender a roubar os ricos. Little John, um comandante mouro, dá início a uma revolta contra a coroa britânica e acaba transformando Robin em um grande herói.

O longa traz também Eve Hewson, Jamie Dornan e Ben Mendelsohn no elenco e é descrito, pelo próprio diretor, como uma abordagem revisionista da lenda de Robin Hood.

A direção fica nas mãos de Otto Bathurst (Black Mirror), com roteiro de Ben Chandler e David James Kelly. A produção é de Leonardo DiCaprio, Jennifer Davisson, Basil Iwanyk, Tory Tunnel e Joby Harold.

Robin Hood: A Origem chega aos cinemas brasileiros no dia 29 de novembro.