Na última quarta-feira (28), Sylvester Stallone surpreendeu Hollywood com um vídeo em que indicou a aposentadoria como Rocky Balboa. Mas, nem todo mundo está confiando no astro.

Para o Good Morning Britain, Dolph Lundgren, o eterno Ivan Drago – que está retornando em Creed 2, declarou que não acredita no mais recente discurso de Sylvester Stallone.

“Eu já ouvi isso antes. Eu não acredito nele, mas vamos ver”, respondeu o ator.


Florian Munteanu, que está vivendo o filho de Ivan Drago em Creed 2, também estava na entrevista e seguiu o raciocínio do seu pai nos cinemas. Vale lembrar que antes das recentes declarações, Sylvester Stallone afirmou que faria uma última aparição como Rocky Balboa em um possível Creed 3.

“Eu não acredito também, mas eu não acho que ele vai aparecer de uma grande maneira, como em Rocky ou Creed. Eu acho que, talvez, com uma participação menor. Vamos ver”, declarou o jovem artista.

Rocky Balboa | Sylvester Stallone indica que não interpretará mais o personagem: “Foi meu último rodeio”

Na quarta, Sylvester Stallone publicou um vídeo em tom de despedida do personagem. Mas, o ator ainda não confirmou nada para a imprensa.

“Bem, este é provavelmente o meu último rodeio porque o que eu pensei aconteceu, e tem acontecido, eu nunca tive a expectativa. Eu achei que Rocky estava acabado em 2006 e estava bem com isso. Então, esse jovem homem (Michael B. Jordan) se apresentou e tudo mudou. Fui para uma nova geração. Novas histórias. Novas aventuras”, afirmou o astro na rede social.

No momento, o mundo de Rocky Balboa está focado em Creed 2, perto de chegar aos cinemas no Brasil.

A franquia Creed acompanha a carreira do lutador Adonis Creed, de Michael B. Jordan. No novo filme, três anos depois do primeiro, Adonis voltará aos ringues, para enfrentar o filho de Ivan Drago, o homem que matou seu pai no quarto filme da franquia Rocky Balboa, de Sylvester Stallone.

Dirigido por Steven Caple Jr., o filme marca o retorno de Jordan, Sylvester Stallone e Tessa Thompson.

Creed 2 estreia nos cinemas brasileiros em 24 de janeiro de 2019.