Em uma entrevista para a Entertainment Weekly, Julie Ann Crommett, produtora e vice-presidente de engajamento multicultural na Disney, explicou como o live-action do filme Aladdin se diferencia da animação de 1992.

Crommett revelou que o novo longa apresenta algumas diferenças pontuais em relação à obra original, para evitar que sejam abordados esteriótipos em relação à cultura árabe.

“Há mudanças bastante específicas nesse filme em relação aos esteriótipos” disse a produtora. “Há uma remoção da iconografia das espadas que leva à violência. Há um afastamento em relação a esteriótipos em termos de caracterização – a história de Jasmine, por exemplo, é sobre empoderamento e não está baseada na ideia de um casamento”.

>> CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

“Nós analisamos a versão animada, vimos algumas críticas, e fizemos algumas mudanças que serão notáveis” concluiu Crommett.

Aladdin | Will Smith e elenco aparecem em vídeo dos bastidores do remake live-action

Sob direção de Guy Ritchie (Sherlock Holmes), o filme recontará a história do pobre garoto Aladdin (Mena Massoud) que tem apenas como sua família o macaquinho Abu. Depois de conhecer e se apaixonar pela princesa Jasmine (Naomi Scott), Aladdin encontra um lâmpada mágica, lar de Gênio (Will Smith), que o ajuda a conquistar o coração da amada.

Alan Menken assina a trilha sonora de Aladdin – ela já é velho de casa na Disney, tendo trabalhado em animações como Pocahontas, A Pequena Sereia, A Bela e a Fera, e também no clássico Aladdin. Já Benj Pasek e Justin Paul contam em seu currículo com La La Land: Cantando Estações.

Aladdin estreia em 23 de maio de 2019 no Brasil.