A Netflix lançou com Black Mirror: Bandersnatch uma categoria de filmes interativos para adultos. Para uma adaptação fiel do formato, o criador Charlie Brooker utilizou códigos de videogame na produção do roteiro.

Black Mirror: Bandersnatch | Criadores da série inicialmente recusaram ideia de filme interativo

Brooker se utilizou de uma linguagem de programação chama Twine.


“É a única coisa que eu utilizei para fazer o tratamento da história funcionar. Sempre que eu tinha ideias, eu as colocava em uma caixa e tentava movê-las. É como fazer uma grande colcha de retalhos”, afirmou Brooker.

Bandersnatch é sobre a história de um jovem programador que cria um jogo a partir de um romance. No entanto, o protagonista começa a perder o controle sobre o que é a realidade e o que é o mundo virtual.

O especial de Black Mirror vai contar um recurso inédito: o espectador poderá escolher o final do filme, contando com 5 horas de material gravado.

O protagonista desse especial de Black Mirror é Fionn Whitehead, que fez sua estreia nas telas com Dunkirk.

Black Mirror: Bandersnatch está disponível na Netflix.