As recentes acusações de assédio sexual contra o diretor Bryan Singer estão tendo ramificações, com Bohemian Rhapsody sendo removido da premiação do GLAAD Media Awards, dedicada a produções de temática LGBTQ.

“Diante das mais recentes alegações contra o diretor Bryan Singer, a GLAAD fez a difícil decisão de remover Bohemian Rhapsody de competir no GLAAD Media Award de Melhor Filme – Lançamento Expansivo neste ano. A reportagem no The Atlantic dessa semana documentando males sofridos por jovens garotos e adolescentes trouxeram luz a uma realidade que não pode ser ignorada e tampouco recompensada”, afirmou a organização da GLAAD para a Variety.

Os representantes da Fox não responderam à desclassificação do filme.


Bohemian Rhapsody | Produtor explica motivo de Bryan Singer ter abandonado o filme no fim da produção

Bohemian Rhapsody retrata a rápida ascensão de Freddie Mercury (Rami Malek) e do Queen ao sucesso. A trama ainda pretende explorar a relação do líder com os seus colegas de banda, Brian May (Gwilym Lee), John Deacon (Joseph Mazzello) e Roger Taylor (Ben Hardy).

O elenco ainda conta com participações de Lucy Boynton, Mike Myers e Tom Hollander.

A direção ficou por conta de Bryan Singer, que foi demitido ao longo da produção, sendo substituído por Dexter Fletcher (Rocketman). O filme concorre a 5 categorias do Oscar, incluindo Melhor Filme.