Bryan Singer foi demitido de Bohemian Rhapsody após uma série de polêmicas, mas ainda pode lucrar com a produção. A informação é do The Hollywood Reporter.

O portal afirma ter duas fontes que calculam um ganho de US$ 40 milhões por parte do diretor. Mesmo com a demissão, Bryan Singer ainda é creditado no filme. O cineasta teria sido cortado do projeto nas últimas semanas de gravações por não comparecer no set. Dexter Fletcher acabou dirigindo os últimos dias de Bohemian Rhapsody.

O THR também publica que a Fox está explorando opções legais para rever os ganhos de Bryan Singer. Para surpresa do estúdio, a cinebiografia foi um hit, com US$ 817 milhões ganhos nas bilheterias e cinco indicações ao Oscar.


Bohemian Rhapsody | Rami Malek revela história pouco conhecida entre Freddie Mercury e princesa Diana

O cachê de Bryan Singer em Bohemian Rhapsody não foi revelado, mas o THR estima que tenha sido de quase US$ 10 milhões. Com isso, o diretor deve ter um ganho total de mais de US$ 50 milhões na cinebiografia.

Bohemian Rhapsody retrata a rápida ascensão de Freddie Mercury (Rami Malek) e do Queen ao sucesso. A trama ainda pretende explorar a relação do líder com os seus colegas de banda, Brian May (Gwilym Lee), John Deacon (Joseph Mazzello) e Roger Taylor (Ben Hardy).

O elenco ainda conta com participações de Lucy Boynton, Mike Myers e Tom Hollander.

A direção ficou por conta de Bryan Singer, que foi demitido ao longo da produção, sendo substituído por Dexter Fletcher (Rocketman). O filme concorre a 5 categorias do Oscar, incluindo Melhor Filme.