O filme IO estreou na Netflix na última sexta-feira (18), e já está fazendo sucesso entre os fãs de ficção científica. O final do longa já foi descrito como confuso por algumas pessoas. Confira abaixo uma explicação sobre o sentido da conclusão da trama.

Crítica | IO

No final do filme, Micah e Sam tentam embarcar na última leva de naves espaciais que estão indo para a colônia humana em Io, uma das luas de Júpiter. Precisando de mais hélio para o balão de ar quente de Micah, Sam leva a dupla para um depósito de latas de hélio, localizado na cidade tóxica.


Após um pequeno descanso, Sam decide visitar um museu e observa analiticamente a obra “Leda e o Cisne”, de Paul Cezanne.

Sam é encontrada por Micah no museu, que pede para a amiga explicar o sentido da obra. Sam, que era uma professora de história da arte antes do apocalipse, conta que na mitologia grega, o cisne representa Zeus, o Rei dos Deuses. A divindade usa a forma do pássaro para seduzir Leda, e como resultado da união, nasce Helena de Troia, a mulher mais bela do mundo. A ilustração representa a junção do humano e do divino, na criação de um ser de beleza incomparável.

Inspirada pela história da pintura, Sam decide ficar para trás, preferindo morrer em seu planeta natal do que abandoná-lo. Ela retira sua máscara de oxigênio e percebe que consegue respirar normalmente, o que prova que a vida humana ainda pode se desenvolver na terra.

Após sua decisão, ele pede para Micah divulgar a boa nova nas colônias do Êxodo. O filme termina com Sam escrevendo uma carta para Micah, contando sobre as ondas do oceano. Nesse momento, surgem várias crianças, o que sugere que a personagem não está sozinha no mundo.

IO foi visto como uma alegoria sobre o aquecimento global e as ações antrópicas dos seres humanos no meio ambiente.

A história de IO gira em torno de uma adolescente (Margaret Qualley) que é uma das últimas pessoas em uma Terra pós-cataclísmica.

Com o último ônibus espacial programado para deixar o planeta, ela precisa decidir se deve viajar até o ponto de partida e se juntar ao resto da humanidade, ou permanecer na Terra, vivendo solitariamente no único lar que já conheceu.

O elenco ainda conta com Danny Huston (Mulher-Maravilha) e Anthony Mackie (Vingadores: Guerra Infinita).

A direção é de Jonathan Helpert.

IO já está disponível na Netflix.