De acordo com um relatório da organização não governamental de análise de mídia GLAAD, a edição de 2019 do Oscar é a mais inclusiva para tramas e personagens LGBTs da história.

Oscar 2019 | Filmes estrangeiros surpreendem nas principais categorias

Quatro dois oito indicados ao prêmio de Melhor Filme são inclusivos à comunidade queer, incluindo Nasce Uma Estrela, Green Book: O Guia, A Favorita e Bohemian Rhapsody


Em Nasce Uma Estrela, a personagem de Lady Gaga trabalha em um bar de Drag Queens para manter vivo seu sonho musical. Além disso, a própria Gaga é um ícone para a comunidade LGBT desde o início de sua carreira. A cantora e atriz sempre se posicionou e usou sua influência para lutar pelos direitos de seus fãs.

Green Book: O Guia observa a interseccionalidade da sexualidade e etnia do músico Don Shirley, A Favorita traz um raro e cativante triângulo amoroso feminino e Bohemian Rhapsody acompanha a vida e carreira do icônico Freddie Mercury.

“A lista de indicados representa um ano maravilhoso para inclusão dos LGBTs em filmes, e um sinal que os membros da Academia estão priorizando narrativas da diversidade, em um momento em que tanto o público quanto a crítica cobram essa posição. A diversidade da lista deve ser celebrada, e com certeza vai ocasionar filmes mais inclusivos”, opina Kate Ellis, presidente da GLAAD.

Nos últimos dois anos consecutivos, filmes com narrativas que faziam referência à comunidade ou indivíduos queer ganharam o prêmio de Melhor Filme. Foram eles Moonlight: Sob a Luz do Luar e A Forma da Água.

A 91ª edição do Oscar acontece no dia 24 de fevereiro. Após a desistência de Kevin Hart, a cerimônia não contará com um apresentador fixo pela primeira vez em 30 anos.