Após uma série de novas acusações de abuso sexual recaírem sobre o polêmico cineasta Bryan Singer, uma petição online foi criada para tirá-lo da direção de Red Sonja, projeto da Millennium Films.

Respondendo a polêmica, a produtora enviou uma nota para o The Hollywood Reporter, afirmando que não tem intenção de cortar relações com o diretor.

“Eu continuo em desenvolvimento para Red Sonja e Bryan Singer continua anexado. Os mais ide US$ 800 milhões que Bohemian Rhapsody arrecadou, tornando-o o drama mais lucrativo da história do cinema, é um testamento a sua visão admirável. Eu sei a diferença entre fake news promovida por agenda e a realidade, e eu estou bem confortável com essa decisão. Nos EUA, as pessoas são inocentes até que se prove o contrário”, afirmou o CEO da Millennium, Avi Lerner.


20 filmes esquecíveis da Marvel que quase ninguém mais lembra

A nova versão de Red Sonja está sendo financiada e produzida pela Millennium, que teria escolhido o diretor, apesar de sua má reputação após diversas acusações de pedofilia terem surgido contra o diretor.

O roteiro do filme está sendo escrito por Ashley Miller, que escreveu o roteiro de X-Men: Primeira Classe (produzido por Singer).

Durante o ano passado, Singer foi demitido da direção de Bohemian Rhapsody, cinebiografia do Queen, após não comparecer repetidas vezes ao set de filmagens (em meio à outras acusações, incluindo estupro).

Apesar disso, Singer está supervisionando a montagem de Bohemian Rhapsody e irá receber integralmente os créditos de diretor do filme.

Ainda não há previsão de estreia, ou detalhes sobre a trama de Red Sonja.