Os bastidores de Operação Valquíria, de 2008, foram um caos completo em questões criativas.

Em entrevista com o Deadline, o editor e compositor John Ottman contou que teve uma experiência traumática ao trabalhar com o diretor Bryan Singer, o ator Tom Cruise e o roteirista Christopher McQuarrie no longa-metragem.

Katie Holmes publica foto rara de Suri, filha que teve com Tom Cruise


Segundo Ottman, os três simplesmente não paravam de interferir nos trabalhos uns dos outros.

“Tom passava cerca de uma semana comigo, me supervisionando na sala de edição. Depois Chris aparecia para supervisionar o que Tom havia feito. Era como se estivesse em um jogo de xadrez, mas sem poder mexer as peças. Chris fazia pequenos ajustes no que Tom fizera, e então Bryan entrava para mudar o que Tom e Chris haviam feito.”

“Eles cortavam as cenas, depois as colocavam de volta”, prosseguiu. “Me lembro de simplesmente sentar e chorar. Literalmente chorava porque não conseguia terminar meu trabalho. Éramos uma espécie de navio andando em círculos.”

Top Gun: Maverick | Oficiais desmentem críticas a Tom Cruise e exaltam profissionalismo do astro

Apesar disso, Ottman continuou trabalhando com Bryan Singer e elogia Tom Cruise por sua visão criativa.

“Sempre o dizia que deveria ser diretor porque tinha um instinto muito bom para história. Ele raramente entrava na sala de edição para falar sobre sua atuação. Ele confiava que eu estava fazendo a coisa certa. Tom estava muito preocupado com o arco da história e era muito bom nisto.”

Na trama de Operação Valquíria, Tom Cruise interpretou o conspirador coronel alemão Claus von Stauffenberg, cujo plano para assassinar Adolf Hitler acaba dando errado.

Sendo lançado em meio a protestos, Operação Valquíria foi um fracasso comercial, além de ter sido muito friamente recebido pela crítica.