No ano passado, o lançamento de Cinquenta Tons de Liberdade incentivou autoridades russas a considerar restrições aos filmes de Hollywood no país. Agora, a proposta foi arquivada.

Gérard Depardieu troca de residência na Rússia para não pagar impostos

Originalmente, o projeto de lei restringiria o número de lançamentos de filmes americanos para 35% do número de sessões de cinema do país.


“Essa ideia ressurge de tempos em tempos, até mesmo pela própria comunidade produtora de filmes, mas atualmente, não está na agenda do governo”, afirmou Olga Lubimova, chefe do departamento de filmes do governo russo, em entrevista à agência de notícias TASS.

Lubinova não revelou porque a proposta foi arquivada, mas os protestos dos donos de cinemas podem ser influenciado a decisão.

“Restringir o total de sessões de qualquer filme causaria um grande impacto negativo em cinemas com poucas salas. Caso aprovada, os cinemas perderiam lucros”, explicou Olga Zinyakova, presidente da cadeia de cinemas KARQ.

Cinquenta Tons de Liberdade deu início à proposta devido ao seu tom erótico, visto como degenerado pelo governo da Rússia.