A produção de Bond 25, novo filme do agente 007 com Daniel Craig, foi uma das conturbadas da franquia, resultando na saída do diretor Danny Boyle para a entrada de Cary Fukunaga.

Em entrevista para a Empire, Boyle explica seus motivos para ter deixado o projeto, que basicamente resumem-se ao roteiro.

“Eu aprendi muito sobre mim mesmo com Bond. Eu trabalho em parceria com roteiristas e eu não estou preparado para me separar. Estávamos trabalhando muito muito bem, mas eles não queriam ir nesse caminho conosco. Então decidimos sair, e seria injusto dizer o que era, porque eu não sei o que Cary Fukunaga vai fazer. Eu recebi uma mensagem muito legal dele e lhe desejei boa sorte”, disse Boyle.


“É uma grande pena. Eu achei que o que eu e o John Hodge estávamos fazendo era muito bom. Não estava pronto, mas poderia ter sido muito bom. Você precisa acreditar em seu processo e parte disso é a parceria que eu tenho com um roteirista. É como se alguém chegasse falando, ‘Ei, você vai ter que trabalhar com um montador diferente”, explica o diretor.

Bond 25 | Billy Magnussen está em negociações finais para se juntar ao elenco

As gravações de Bond 25 devem começar em julho. Uma das cidades que está na rota do filme é a de Matera, na Itália.

O filme será o último filme de Daniel Craig na pele do agente secreto James Bond, após Cassino Royale, Quantum of Solace, Operação Skyfall e Spectre.

Naomie Harris, Lea Seydoux e Ralph Fiennes também reprisam seus papéis dos filmes anteriores. Rami Malek (Bohemian Rhapsody) negocia para viver o vilão no filme.

Cary Fukunaga acabou sendo escolhido para dirigir Bond 25. O diretor é mais conhecido pela primeira temporada de True Detective e o filme Beasts of No Nation, da Netflix. O roteiro fica por conta de Scott Z. Burns, que deve finalizar o trabalho começado por Neal Purvis e Robert Wade.

Bond 25 estreia no 8 de abril de 2020.