Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile, filme que traz Zac Efron na pele de um dos mais notórios serial killers, Ted Bundy, não será lançado no Brasil pela Netflix.

O serviço de streaming confirmou ao Observatório do Cinema que a cinebiografia de Ted Bundy “não estará disponível para os assinantes da Netflix na América Latina”. O filme mostra Zac Efron com o personagem mais assustador de sua carreira.

Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile conta a história do assassino sobre a perspectiva de sua namorada, vivida por Lily Collins. Ted Bundy era conhecido pela violência de seus atos, chegando a cometer necrofilia com os corpos de suas vítimas.


O elenco do filme também é composto por Haley Joel Osment, John Malkovich e Jim Parsons.

Escrito por Michael Werwie e dirigido por Joe Berlinger, Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile foi lançado em 3 de maio na Netflix dos EUA.

Cinebiografia de Ted Bundy inicialmente seria bem diferente

A versão original de Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile colocava uma dúvida na trajetória de Ted Bundy. Apenas no final do longa o diretor revelaria que o filme se tratava de uma cinebiografia do serial killer.

“Havia algumas coisas diferentes”, disse Berlinger em entrevista ao Digital Spy. “Por exemplo, o roteiro original se apoiava em o público descobrir que se tratava de Bundy apenas no final. Seria a revelação final. Enquanto isso funciona no papel, eu acho que seria impossível fazer um filme assim nos dias atuais, com todas informações que as pessoas têm. No momento que alguém fosse selecionado, seria uma grande notícia, como foi com Zac Efron”, explicou o diretor.

O próprio Berlinger decidiu alterar a história do filme.

“Eu conversei com um produtor e disse, ‘Ao invés de fingir que não é Ted Bundy, vamos mostrar que é, explorando essa experiência de decepção e traição’. O roteiro original era muito de Prenda-me se For Capaz, sobre um cara chamado Ted e uma garota com o nome de Liz, com ele tendo problemas legais, fingindo que estava em uma trama de condenação errada”, destacou ainda o cineasta.