Demitido e recontratado para a direção de Guardiões da Galáxia 3, James Gunn contou sobre a experiência ao Deadline, declarando ter sido um período extremamente difícil de sua carreira.

“Existiram dias mais difíceis na minha vida, como quando fiquei sóbrio quando era mais novo, ou a morte de amigos que cometeram suicidio. Mas isso foi incrivelmente intenso. Aconteceu e, de repente, parecia que tudo estava perdido. Eu sabia, naquele momento que tudo acabou muito rápido. Eu fui demitido. Achei que minha carreira tinha acabado”, disse diretor.

O diretor ainda comparou a série ao seu divórcio.


“Foi como um divórcio. Eu me divorciei e então tive essas conversas com minha ex-esposa: ‘vamos tentar nos dar bem e sermos carinhosos com o outro, porque somos uma grande parte da vida do outro'”, disse o diretor.

“Ao mesmo tempo, eu precisava não descontar a raiva em quem me demitiu, ou em quem espalhou links online, ou cortou imagens para parecer com isso ou aquilo, também tive de deixar um pouco da ira em relação a mim mesmo. Caso contrário, eu não seria capaz de seguir adiante”, continuou Gunn.

James Gunn ainda falou sobre a experiência de escrever a continuação de Esquadrão Suicida, que também escreve e dirige.

“A continuação de Esquadrão Suicida começou a fluir instantâneamente. Não acho que me divirto dessa forma escrevendo um roteiro desde Madrugada dos Mortos. O filme todo tem sido assim”, disse o diretor.

Guardiões da Galáxia Vol. 3 terá roteiro e direção de James Gunn, mas ainda não possui data de lançamento.

Os membros dos Guardiões retornam em Vingadores: Ultimato, que está em cartaz nos cinemas nacionais.