I Am Mother é o novo filme original da Netflix, e que tem despertado grande interesse entre o público. Especialmente em sua reviravolta final, que aproxima o androide titular com o icônico Thanos, vilão de Vingadores: Guerra Infinita e Ultimato.

A grande reviravolta de I Am Mother envolve o segredo de Mother: a inteligência artificial revela que foi responsável por destruir a humanidade. Seu raciocínio vem por parte da maioria de alguns dos melhores personagens robôs da cultura pop: deduziu que o planeta ficaria melhor sem a natureza autodestrutiva dos humanos.

É um raciocínio muito similar ao de Thanos no MCU, onde o sacrifício de vidas é usado para um bem maior. No caso, o vilão de Josh Brolin queria favorecer a metade sobrevivente do universo, enquanto Mother almejava criar uma humanidade totalmente nova, utilizando experimentos em laboratório.


Curiosamente, o Thanos de Vingadores: Ultimato segue um raciocínio parecido. Diante da insistência dos Vingadores em mudar o passado, e desfazer seu estalo, o vilão decide matar todo o Universo e iniciar um novo mais “grato” por suas ações.

“Após a extinção da humanidade, uma adolescente criada por uma robô encontra outra humana e começa a questionar tudo o que aprendeu sobre o mundo”, diz a sinopse do filme.

O elenco de I Am Mother conta com Hilary Swank, Luke Hawker, Rose Byrne e Clara Rugaard.

A direção do thriller australiano da Netflix está a cargo do estreante Grant Sputore (da série Castaway).

I Am Mother já está disponível na Netflix.