Joaquin Phoenix é um dos maiores nomes do cinema atual. O ator sempre é elogiado por um trabalho impecável e amado pelos fãs.

No entanto, isso vem com uma alta carga de cobrança pessoal. O diretor Todd Phillips, de Coringa, contou ao The New York Times o que isso fazia com Joaquin Phoenix, o protagonista, durante as gravações. Os colegas do astro sempre ficavam confusos.

“No meio da cena, ele simplesmente saía. E alguns dos atores achavam que era com eles e nunca era com eles – era sempre com ele porque não estava sentindo a atuação”, contou o cineasta.


Joaquin Phoenix sempre parava para dar um tempo, mas tinha o pensamento positivo. “Nós vamos dar uma caminhada, vamos voltar e fazer isso bem”, dizia o astro para o cineasta.

Apenas um ator não passou por essa situação com Joaquin Phoenix. Foi Robert De Niro, a outra estrela de Coringa, no papel do apresentador Murray Franklin.

“Joaquin foi muito intenso no que ele estava fazendo, como deveria ser e como ele deveria ser. Não há nada para falar pessoalmente do lado, ‘Vamos tomar um café’. Apenas vamos fazer as coisas”, declarou o ator para o mesmo jornal.

O filme do Coringa, da DC, traz ainda Zazie Beetz (Atlanta), Bill Camp (Operação Red Sparrow, A Grande Jogada), Frances Conroy (American Horror Story, Castle Rock), Brett Cullen (42, Narcos), Glenn Fleshler (Billions, Barry), Douglas Hodge (Operação Red Sparrow, Penny Dreadful), Marc Maron (Maron, GLOW), Josh Pais (Motherless Brooklyn, Going in Style), e Shea Whigham (O Primeiro Homem, Kong: A Ilha da Caveira).

Todd Phillips (Se Beber, Não Case!) dirige o filme e também assina o roteiro ao lado de Scott Silver (O Vencedor). A produção ainda conta com o astro Bradley Cooper.

Coringa estreia nos cinemas brasileiros em 3 de outubro.