Uma das principais críticas que Star Wars: O Despertar da Força, o sétimo episódio da saga, recebeu em sua época de lançamento foi a de ser uma “cópia” de Uma Nova Esperança – clássico que iniciou a franquia em 1977. É um fato, e os fãs não foram os únicos a achar isso.

Em trecho de seu livro The Ride of a Lifetime: Lessons Learned from 15 Years as CEO of the Walt Disney Company, o presidente da Disney, Bob Iger, revelou que George Lucas não escondeu sua decepção ao assistir o primeiro corte do filme de J.J. Abrams.

“Em cada um dos filmes da trilogia original, era importante para ele apresentar novos mundos, novas histórias, personagens e tecnologias. Neste, ele disse que ‘Não haviam saltos à frente de visual ou tecnologia’. Ele não estava errado, mas ele também não tinha noção da pressão que tínhamos para dar aos fãs devotos um filme que parecesse essencialmente Star Wars”, escreve Iger.


“Nós intencionalmente criamos um mundo que era conectado em visual e tom aos filmes antigos, para não desviar do que as pessoas amavam e esperavam, e George nos criticou exatamente por isso”, explica.

Ainda este ano, a Disney lança Star Wars: A Ascensão Skywalker em 19 de dezembro nos cinemas brasileiros.