Harry Potter é uma das franquias mais famosas da atualidade. Mesmo assim, as obras do bruxinho foram proibidas na escola católica Saint Edward, em Nashville (EUA).

O jornal The Tennessean informou que os livros escritos por J.K Rowling e também os filmes foram banidos a partir de uma decisão do padre Dan Reehill, responsável pelo local. O religioso tem medo que as histórias de Harry Potter realmente possuam forças do mal.

O padre teria garantido que os encantos e feitiços dos livros contam com um pouco de verdade. Por isso, representam “riscos reais de evocação de espíritos malignos”.


“Esses livros apresentam a magia como alvo benigno e maligno, o que não é verdade, mas acaba sendo uma fraude esperta. Os encantos e as maldições apresentados nos livros são encantos e maldições reais; e quando lidos por um ser humano causam o risco real da evocação de espíritos malignos pela pessoa que lê a obra”, disse o diretor em e-mail enviado aos pais dos alunos.

A superintendente das escolas católicas de Nashville teve que se pronunciar após o caso. Rebecca Hammel afirmou que a decisão do padre é única e não representa o pensamento dos outros colégios e da Igreja Católica.

“Cada padre tem a autoridade canônica de tomar decisões semelhantes nas escolas que dirigem”, afirmou Hammel. A profissional ainda explicou que são os pais que devem proibir ou não o acesso às obras de Harry Potter.

J.K. Rowling, autora que criou o universo de Harry Potter, ainda não se pronunciou sobre a curiosa decisão da escola americana.