O diretor de It: Capítulo 2, Andy Muschietti, falou sobre uma grande mudança que foi feita no livro original de Stephen King.

O plano era sempre fazer uma adaptação em duas partes de It, mas, apesar de não terem feito nenhuma preparação para a sequência ao fazer o primeiro filme, Muschietti disse ao Digital Spy que eles estabeleceram um ponto-chave da trama.

“Havia janelas abertas. Mais ou menos como bolas lançadas para a frente para serem apanhadas mais tarde, de certa forma”, explicou ele sobre o primeiro filme.


“Eu sabia que havia algo que eu queria fazer sem estar totalmente focado na visão de Beverly. Isso realmente valeu a pena no final, quando chegamos lá, e realmente fez disso o motivo pelo qual os perdedores precisam ficar na cidade.”

Na sequência, Beverly diz ao Clube dos Perdedores que, após sua experiência no final de It: A Coisa, ela sabia que eles morreriam se deixassem a cidade e não parassem Pennywise.

“É algo que, no livro, é muito mais flexível. Geramos uma razão – uma razão credível – para os perdedores permanecerem, que é basicamente: se eles forem, eles morrerão. O que é algo que não acontece no livro”, continuou Muschietti.

Além de dividir as linhas do tempo duplas do livro para os dois filmes, It: Capítulo 2 – como o primeiro filme – faz algumas outras mudanças em relação ao livro de King, já que este é “mais flexível”.

“Todos os eventos acontecem em um período maior de tempo. Eles não são necessariamente consequentes. Tudo isso, você precisa resumir em uma narrativa cinematográfica. Tudo tem que ser muito rigoroso”, disse Muschietti.

“Você precisa contar uma história cada vez mais tensa, e há uma estrutura que é um problema completamente diferente de uma narrativa literária. Portanto, é uma tradução no idioma.”

“E nessa tradução, é muito fácil ver o que você não pode usar e o que você precisa reinventar. Portanto, todas as licenças e todos os desvios que fizemos na história são muito funcionais.”

It: Capítulo 2 está em cartaz nos cinemas.