O elogiado El Camino: A Breaking Bad Film quase teve um final muito diferente daquele que vimos no filme da Netflix. E que certamente teria deixado os fãs da série da AMC bem furiosos.

Em entrevista para a Entertainment Weekly, o diretor e roteirista Vince Gilligan revelou um final alternativo mais trágico para o Jesse Pinkman de Aaron Paul, que acabaria na prisão mesmo depois de tudo.

“Eu não cheguei a elaborar muito isso, mas provavelmente seria uma jovem mulher precisando de ajuda. Ele estava se escondendo na fronteira canadense, e essa mulher trabalhava em um motel como camareira ou coisa do tipo. Ele acaba salvando ela, sabendo que vai sofrer por isso, que vai se capturado, mas ele faz mesmo assim”, diz Gilligan.


“Teríamos esse componente onde ele não conseguia dormir. Ele não era capaz de uma noite de sono por uma semana depois de fugir. A polícia está procurando por ele, e ele está muito assombrado e movido a adrenalina. No final da situação, ele estaria em uma cela de prisão, e ironicamente dormindo como um bebê. E eu pensei, ‘Isso seria legal'”, confessa.

A trama do filme de Breaking Bad acompanha Jesse enquanto ele “foge de seus captores, da lei e de seu passado”, como descreve a Netflix.

El Camino, título do longa, é o nome do mesmo Chevrolet de 1978 que pertenceu a Todd (Jesse Plemons), usado por Jesse para fugir do complexo da supremacia branca, onde foi mantido em cativeiro por Jack Welker (Michael Bowen) como escravo.

El Camino: A Breaking Bad Film já está disponível na Netflix.