Cuidado! Contém SPOILERS de O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio!

O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio, sexto filme da franquia, chegou com uma reviravolta polêmica. O objetivo do filme era servir como uma continuação direta de O Exterminador do Futuro 2 – O Julgamento Final.

O filme começa três anos depois do segundo longa da franquia. Sarah e John Connor acabaram com a Skynet, mas ainda fogem de exterminadores T-800 que tinham deixado antes o futuro.


Um desses T-800 consegue completar a missão ao matar John. Ao conseguir, a máquina decide ter uma vida normal e Sarah Connor começa a lamentar a morte do filho.

Essa cena prova que não faz sentido a Skynet enviar um exterminador por vez. Sarah e John demoram muito para conseguir matar apenas uma máquina, mas os vilões seguem com a mesma estratégia sem lógica.

O que agrava esse furo de roteiro é que O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio mostra que a Skynet podia enviar mais de um assassino ao passado. Mas, o pior é o que vem depois: o filme segue com essa lógica.

Sarah descobre uma nova ameaça, chamada de Legião. Esse novo vilão quer exterminar Dani, que pode ser uma líder no futuro.

Mas, o que a Legião faz? Manda apenas um Rev-9, assim como a Skynet fazia com os T-800. A franquia ainda não conseguiu explicar essa situação.

Enquanto isso, O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio segue em exibição nos cinemas.