O final de Vingadores: Ultimato trouxe a despedida de alguns dos principais personagens do MCU, mas de maneiras diferentes.

Enquanto o Homem de Ferro morreu ao se sacrificar para salvar o universo e derrotar Thanos, o Capitão América voltou ao passado para viver sua vida feliz ao lado de Peggy e morrer futuramente de velhice.

Muitos fãs se perguntaram, no entanto, porque o Capitão também não morreu na trama. Agora, os roteiristas Christopher Markus e Stephen McFeely explicaram a decisão.


“Ao longo dos filmes, percebemos que Cap e Tony estavam cruzando arcos. Cap, que tinha começado completamente altruísta e pulava granadas, querendo ou não, estava se interessando mais. Para não dizer egoísta, mas se você assistir a Guerra Civil, em particular, ele tomará decisões com base no que ele quer, mesmo que isso acabe com os Vingadores.

E Tony começou como o playboy bilionário impetuoso, e as apostas estão crescendo para ele, a responsabilidade está crescendo para ele. Percebemos em um ponto, no final de 2015, que, para Steve ser o melhor de si, ele teria que ter uma vida e, para Tony, ser o melhor de si, ele poderia ter que perder a dele”, afirmou McFeely.

“E é por isso que o Capitão América não pode morrer neste filme”, ​​acrescentou Markus. “Porque ele estava disposto a morrer no primeiro. Isso não é uma jornada.”

Vingadores: Ultimato chegou aos cinemas em 25 de abril deste ano, e alcançou a maior bilheteria da história do cinema, faturando US$ 2,796 bilhões.