Aos 55 anos, Brad Pitt é um nome estabelecido de Hollywood e não tem mais nada a esconder. Agora, o ator contou que quase pensou em se aposentar após estrelar o épico Troia, de 2004.

Ao The New York Times, o astro disse que ficou chateado com o longa. Troia teve a direção de Wolfgang Petersen e ainda contou com Eric Bana e Orlando Bloom.

“Foi realmente uma reviravolta para minha carreira. Fiquei decepcionado”, relembrou o astro.


Brad Pitt ainda relatou que foi obrigado a fazer Troia. Um contrato com o estúdio permitia que ele fosse colocado no projeto em que os executivos desejavam.

“Não foi doloroso, mas percebi que a maneira como o filme estava sendo contado não era como eu queria. Eu cometi meus próprios erros nele. O que estou tentando dizer sobre Troia? Não conseguia sair do meio do quadro. Isso estava me deixando louco”, contou o ator.

Mudança na carreira

Outra decepção foi o nível de trabalho. Brad Pitt revelou que estava “mimado” por ter trabalhado com David Fincher, em Clube da Luta e Se7en – Os Sete Crimes Capitais.

“Nada contra Wolfgang Petersen. Das Boot (do diretor) é um dos melhores filmes de todos os tempos. Mas em algum lugar, Troia se tornou um tipo comercial. Casa gravação era como, aqui está o herói! Não havia mistério”, explicou Brad Pitt.

Se não gostou de Troia, o épico ajudou o astro a mudar a direção da carreira.

“Naquele época, tomei a decisão de investir apenas em histórias de qualidade, por falta de um termo melhor. Foi uma mudança distinta que levou à próxima década de filmes”, garantiu o ator.

Em 2019, Brad Pitt estrelou em Era Uma Vez em Hollywood e Ad Astra: Rumo Às Estrelas.