Coringa já é um dos maiores sucessos da história do cinema de super-heróis, e foi abraçado pelo público principalmente pelo espetacular desenvolvimento do personagem principal, Arthur Fleck.

Arthur passa por uma longa jornada através da trama até, finalmente, no final da história, assumir o manto do Coringa.

No entanto, há uma característica sutil neste desenvolvimento que pode não ter sido notada pelo público: a música. O diretor Todd Philips explicou este ponto em entrevista ao Deadline.


“A história é uma jornada de um homem tentando descobrir seu passado e de onde ele vem, então eu pensei que era realmente importante quase conseguir entrar na cabeça dele. Era realmente importante [examinar] como deve ser a alma de Arthur Fleck.

Para mim, era realmente importante que toda a música de Arthur fosse direta e completamente sem florescer – muito simples, quase ingênua. Como você pode ouvir na partitura, quase não há harmonias. É quase como uma cadeia de pensamento que está realizando, esse tipo de simplicidade implacável.

À medida que avançamos na história, ele começa a entender mais, e sua raiva começa a aparecer um pouco mais na superfície – especialmente no final do filme – a orquestra ficou tão alta, e o Coringa assumiu o Arthur Fleck que vimos no começo.”

Coringa está em exibição nos cinemas mundiais desde o dia 3 de outubro.