Os Celestiais já foram mencionados por algumas vezes no Universo Cinematográfico Marvel, e devem ser trabalhados ainda mais a partir do filme Os Eternos.

No entanto, segundo uma teoria, um Celestial esteve presente em nossa cara desde o primeiro filme do Thor, e não percebemos.

De acordo com um usuário no Reddit, Odin Borson (Anthony Hopkins) é um Celestial dentro do MCU. Veja o que ele diz:


“Sabemos de Guardiões da Galáxia 2 que os Celestiais são seres divinos. Odin parece possuir um poder muito além de qualquer outro asgardiano. Ele era um Celestial que, diferentemente do pai de Peter, usava seu poder para criar uma raça de pessoas que cada uma delas carregava um pouco de seu poder dentro delas.

Asgard era o seu núcleo de poder (ou seja, a chama eterna), e é por isso que fortaleceu tanto o gigante do fogo que ele se tornou enorme. Sua esposa, mãe de Thor, pode ter sido parte Celestial, o que explica os poderes únicos de seus filhos em comparação com outros asgardianos.

No entanto, Odin morreu porque ele gastou todo o seu poder fazendo coisas para ajudar seu povo, em vez de acumular o poder dos outros para si mesmo. Isso explica por que o selo da prisão de Hella quebrou após sua “morte”, que foi realmente apenas ele perdendo a força para manter sua forma Odin.

Isso também explica como ela conseguiu extrair energia extra de Asgard. Thor ainda tem seu poder, mesmo sem o martelo, porque é inato, e ele aprendeu a canalizá-lo melhor como Peter [Quill]. Ao contrário de Peter, Odin realmente deu a seus filhos um pouco de seu próprio poder. Incluindo dar um pouco de Loki ao adotá-lo.”

Thor: Amor e Trovão estreia no dia 5 de novembro de 2021.