Em Fala Sério, Mãe!, comédia de Pedro Vasconcelos que estreia nessa quinta (28) nos cinemas brasileiros, Ingrid Guimarães interpreta uma mãe atrapalhada e divertida como a que todos nós conhecemos na vida real.

Crítica | Fala Sério, Mãe!

No entanto, não é só nesse filme, estrelado por Larissa Manoela e baseado em um livro de Thalita Rebouças, que a figura de uma mãe engraçada e exagerada apareceu na ficção brasileira.


Confira as 8 mães mais hilárias da ficção nacional:

ALICE (De Pernas Pro Ar) | A personagem de Fala Sério, Mãe! não é a primeira que Ingrid Guimarães interpreta nessa veia – em De Pernas Pro Ar e sua continuação, a atriz fez a “certinha” Alice, cuja vida vira de cabeça para baixo quando ela se junta a sua vizinha (Maria Paula) para administrar uma sex shop. No meio dessa loucura, ela encontra tempo para ser uma boa (ainda que atrapalhada) mãe para Paulinho.

Minha Mãe É Uma Peça 2

DONA HERMÍNIA (Minha Mãe é Uma Peça) | Impossível não incluir a inspirada personagem de Paulo Gustavo nessa lista. Tanto no teatro quanto em seus dois filmes para o cinema, recordistas de  público, a Dona Hermínia encarna as manias mais reconhecíveis das mães brasileiras de uma forma hilária.

DONA PICUCHA (Doce de Mãe) | A personagem que rendeu o Emmy Internacional a nossa Fernanda Montenegro, Dona Picucha passeia entre momentos de puro humor e revelações mais sérias sobre seu passado e de sua família em Doce de Mãe. Esse delicioso telefilme transformado em minissérie é identificável e divertido para todas as idades.

CAMILA (As Melhores Coisas do Mundo) | Embora o filme seja um drama adolescente, Denis Fraga empresta humor e carisma para a mãe do protagonista Mano (Francisco Miguez) nesse incrível filme da cineasta Laís Bodansky. A cena em que ela e o filho desabafam suas frustrações jogando ovos na parede é especialmente memorável.

DARLENE (Eu Tu Eles) | Se Dona Flor tinha dois maridos, Dona Darlene tinha três. Baseado em uma história real, essa comédia brasileira trazia Regina Casé como a mãe de três filhos de três homens diferentes, que encantava a todos com o seu carisma e seu bom humor frente a vida difícil que levava com os três companheiros.

CLÉIA (Meu Tio Matou Um Cara) | A personagem de Dira Paes no filme de Jorge Furtado não é um dos grandes destaques do longa, mas abrilhanta a tela sempre que aparece. Todos nós queríamos ter uma mãe bem humorada como Cléia, progenitora do protagonista Duca, que busca provar a inocência do Tio em um caso de assassinato.

DONA NENÊ (A Grande Família) | Impossível fazer essa lista sem incluir a personagem, que foi interpretada por Eloísa Mafalda na série original dos anos 1970 e por Marieta Severo no remake dos anos 2000. Sempre deliciosamente atrapalhada, a personagem deixou sua marca indelével na dramaturgia brasileira.

EDILÁSIA, ou “Mamushka” (Da Cor do Pecado) | A atriz Rosi Campos poderia ter ficado confortável com só uma personagem icônica da TV brasileira (a Morgana de Castelo Rá-Tim-Bum), mas provou que poderia fazer mais uma quando encarnou a matriarca da família de lutadores Sardinha na novela Da Cor do Pecado.