A Marvel se prepara para estrear Pantera Negra nessa quinta (15), e poucos filmes da empresa, especialmente aventuras solo de heróis, foram vistos com tanta ansiedade.

Pantera Negra | Novo vídeo mostra a origem do herói

Não é à toa – há muitos motivos para ver Pantera Negra como uma verdadeira revolução no universo da Marvel. Confira sete delas:

Chadwick Boseman em Pantera Negra.
Chadwick Boseman em Pantera Negra.
>> CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

WAKANDA | A inclusão da nação africana (ficcional) de Wakanda é uma revolução por si só no universo Marvel. Isso porque Wakanda é uma mina inesgotável de histórias, tradições e ineditismos. Não à toa, a Marvel a introduziu agora, que seu futuro parece mais incerto, sem longas anunciados para além de 2019.

TECNOLOGIA | Um dos principais elementos que fazem de Wakanda uma novidade tão bacana na Marvel é o infinito de possibilidades tecnológicas contido nela. Assim como nos quadrinhos, a Wakanda do filme é a nação mais avançada do mundo, mesmo que esconda isso de toda a comunidade internacional – certamente essa possibilidade deixará os roteiristas da Marvel atiçados para criar fascinantes novidades tecnológicas ficcionais.

Pantera Negra

DISCUSSÃO GLOBAL | Ainda falando um pouco de Wakanda, a verdade é que esse é o primeiro filme da Marvel que não concentra a (maioria da) ação e as consequências dessa ação nos EUA. Sim, os Vingadores tiveram que salvar um país do leste europeu em Era de Ultron, mas essa é a exceção, e não a regra, na MarvelPantera Negra é o filme que finalmente abre a discussão para um nível global.

Pantera Negra (direita) se confronta com Killmonger (esquerda)

VILÃO DE QUALIDADE | Michael B. Jordan tem sido o ponto focal dos elogios de Pantera Negra até agora – o que é notável porque, no filme, ele interpreta Erik Killmonger, o vilão da história. Por todas as suas virtudes, a Marvel sempre teve um fraco com seus vilões esquecíveis e descartáveis, mas aparentemente Killmonger veio para quebrar esse paradigma, o que dá um precedente para a Marvel continuar arrasando no departamento.

As Dora Milaje em Pantera Negra

BRECHA PARA A DIVERSIDADE | Por mais que tenha se esforçado para incluir personagens de origens diferentes em seu universo nesses primeiros 10 anos, a Marvel ainda devia uma representatividade de qualidade, e com protagonismo. Pantera Negra entrega tudo isso, e seu sucesso deve deixar claro que diversidade compensa, financeiramente, para o estúdio – essa lição vale anotar no caderninho!

Letitia Wright como Shuri em Pantera Negra.
Letitia Wright como Shuri em Pantera Negra

GUERREIRAS A FRENTE | Apesar do filme se chamar Pantera Negra, se focando portanto no T’Challa de Chadwick Boseman, Ryan Coogler e seus corroteiristas tem angariado elogios também pelo tratamento das personagens femininas. As guerreiras Nakia (Lupita Nyong’o) e Okoye (Danai Gurira), além da rainha-mãe Ramonda (Angela Bassett) e do gênio tecnológico da irmã do herói, Shuri (Letitia Wright) firmam a Marvel como um estúdio que celebra o poder feminino.

T'Challa/Pantera Negra (Chadwick Boseman).
T’Challa/Pantera Negra (Chadwick Boseman).

A CRÍTICA | Sempre bom lembrar que, com uma aprovação de nada menos que 98% no site agregador de críticas Rotten Tomatoes, e uma média 8.3/10, Pantera Negra é o filme de super-heróis mais bem avaliado da história moderna do gênero. O crescente respeito crítico pelos filmes do estilo é levado a outro nível por Pantera Negra – não se surpreenda com a campanha de marketing por indicações ao Oscar no ano que vem!

LEAVE A REPLY