Com uma garota procurando o seu pai através de reinos até então desconhecidos e realidades fragmentadas, Uma Dobra no Tempo é a nova fantasia live-action da Disney, com Ava DuVernay na direção, e estreia nessa quinta (29) no Brasil.

Crítica | Uma Dobra no Tempo

Depois de checar o longa com Oprah Winfrey e Reese Witherspoon nos cinemas, no entanto, temos algumas outras sugestões para você:


MARY POPPINS (1964) | Vamos começar pelo maior clássico – em 1964, a babá mágica interpretada por Julie Andrews invadiu os cinemas e deixou todo mundo encantado com suas músicas, seu guarda-chuva voador e seu sorriso contagiante. Misturando animação e live-action, o filme marcou época, levou 5 Oscar e vai ganhar continuação, com Emily Blunt, em 20 de dezembro.

Encantada (2007)

ENCANTADA (2007) | Antes das versões live-action de Cinderella e A Bela e a Fera, Giselle (Amy Adams) foi a primeira princesa em carne e osso da Disney, na fábula Encantada, do diretor Kevin Lima. Essa deliciosa comédia “zoava” e venerava os padrões dos filmes de princesa ao mesmo tempo, e ainda incluía cenas musicais grandiosas – recebeu 3 indicações ao Oscar.

Abracadabra

ABRACADABRA (1993) | É clássico que você quer? Abracadabra se tornou um dos mais amados filmes de Halloween de todos os tempos ao mostrar três irmãs bruxas (Sarah Jessica Parker, Bette Midler e Kathy Najimy) tentando recuperar seus poderes e enfrentadas por uma dupla de adolescentes, um gato imortal e uma criança.

As Crônicas de Nárnia
As Crônicas de Nárnia

AS CRÔNICAS DE NÁRNIA (2005-2010) | A Disney produziu apenas as duas primeiras adaptações de As Crônica de Nárnia para o cinema, de forma que a inclusão de A Viagem do Peregrino da Alvorada (2010) aqui é um pouco de trapaça – mesmo assim, vale a pena ver os filmes, que transportam bem a magia da saga de C.S. Lewis para a telona.

SE MINHA CAMA VOASSE (1971) | Sete anos depois de Mary Poppins, o diretor Robert Stevenson caiu novamente nas graças da Disney com esse clássico estrelado por Angela Lansbury, no qual um trio de órfãos é enviado para morar com sua tia bruxa, que tenta ajudar a Inglaterra a vencer a 2ª Guerra com um feitiço.

A CIDADELA DOS ROBINSONS (1960) | Esse pequeno clássico perdido da Disney, lançado em 1960, mostra uma família suíça (que, curiosamente, tem um nome muito americano) tentando sobreviver em uma ilha deserta após um naufrágio. Ao invés das provações sombrias de Lost ou Náufrago, os Robinson passam por aventuras mais leves (e deliciosas) nas poucos mais de 2h de filme.

O MISTÉRIO DOS ESCAVADORES (2003) | Um Shia LaBeouf pré-Transformers estrelou essa elogiada aventura fantástica do diretor Andrew Davis (O Fugitivo). No filme, após cometer um crime, o personagem de LaBeouf é mandado para um surreal acampamento de trabalho onde nunca chove, e onde detentos cavam buracos eternos sem saber o que estão procurando. O resultado é mais charmoso, divertido e esperto do que você poderia prever.

O APRENDIZ DE FEITICEIRO (2010) |Não se desse enganar pelas críticas mornas – O Aprendiz de Feiticeiro, com Nicolas Cage e Alfred Molina, é um agradável épico de fantasia, que mostra Balthazar Blake (Cage) treinando um descendente de Merlin (Jay Baruchel) para enfrentar a terrível Morgana (Alice Krige). Jon Turteltaub (A Lenda do Tesouro Perdido) dirige.

Rocketeer

ROCKETEER (1991) | Impossível deixar de fora essa deliciosa aventura baseada em HQs, na qual um jovem piloto encontra uma mochila a jato e se transforma no herói Rocketeer. Com uma reconstituição bacana da Hollywood dos anos 1930 (completa com uma mocinha pin-up inspirada por Bettie Page, feita por Jennifer Connely), o filme é um charme só.

PONTE PARA TERABÍTIA (2007) | Pois é, esse grande representante inicial da fantasia infanto-juvenil no cinema também foi lançado pela Disney, sabia? Com Josh Hutcherson e AnnaSophia Robb, o filme de Gabor Csupo é o conto emocionante de um garoto e sua nova melhor amiga, que “inventam” um mundo de fantasia para fugir da realidade.