Quem assistiu ao novo filme da franquia Halloween, que estreou nos cinemas na última quinta-feira (25) certamente percebeu que o filme traz diversos easter eggs e referências aos outros filmes.

Aqui, separamos todos os detalhes que conseguimos encontrar no filme de David Gordon Green.

Confira abaixo:


Halloween | Vídeo legendado destaca a trilha sonora arrepiante

CRÉDITOS DE ABERTURA

Quando o novo Halloween começa, temos uma sequência de créditos de abertura praticamente idêntica à do original, com a trilha magistral de John Carpenter tocando ao fundo enquanto vemos a imagem de uma abóbora de Halloween – agora sendo reconstruída. Até a mesma fonte das letras foi usada, revelando o nível de homenagem dos realizadores.

“OS ASSASSINATOS DAS BABÁS”

Quando o projeto de Halloween foi concebido na década de 70, Carpenter e Debra Hill cogitaram batizar o longa de “The Babysitter Murders”, algo como Os Assassinatos das Babás, antes de descartarem o título. No filme de 2018, esse é o nome atribuído pela polícia ao caso envolvendo Michael Myers na noite de 1978.

MORTES EM BANHEIROS PÚBLICOS

O primeiro ataque notável de Myers no primeiro filme acontece em um banheiro público, quando o assassino encurrala a dupla de podcasters britânicos. Um mal presságio da franquia, visto que Halloween 6 – A Última Vingança, Halloween H20: Vinte Anos Depois e o remake de Rob Zombie também contaram com mortes nesse mesmo local.

INVERTENDO PAPÉIS

Talvez a sacada mais inteligente de David Gordon Green no filme tenha sido trazer algumas cenas onde a Laurie Strode de Jamie Lee Curtis literalmente recria cenas de Myers no original. Por exemplo, quando Allyson está olhando pela janela durante a aula e vê Laurie, é uma recriação direta da cena do original, quando Laurie vê Michael parado do lado de fora. Isso acontece mais próximo do final também, quando Michael derruba Laurie da janela da casa.

FUGA DE UMA INSTITUIÇÃO PSIQUIÁTRICA

É uma premissa básica: Michael Myers foge de uma instituição psiquiátrica e retorna para Haddonfield, com o filme de 2018 apresentando um acidente com o ônibus que transportava alguns pacientes para uma instituição mais segura. Isso também aconteceu em Halloween 4 – O Retorno de Michael Myers, quando o assassino fugiu durante uma transferência.

RETORNO DE NICK CASTLE

Nick Castle, que viveu o Michael Myers original em 1978, está de volta no novo filme durante diversas cenas em que o assassino está em cena. Uma referência bacana é que, pela primeira vez, vemos Jamie Lee Curtis se referir ao assassino como “The Shape”, apelido que Carpenter deu a Myers no original, para reforçar a ausência de humanidade do vilão.

MORTES CLÁSSICAS

O novo Halloween definitivamente é criativo com suas mortes, mas David Gordon Green presta diversas homenagens ao recriar alguns momentos do primeiro filme. Temos uma pessoa sendo morta pelo banco de trás de um carro, sendo apunhalada com tanta força que fica pesa na parede e até mesmo o lençol branco do original; antes usado para esconder Myers, agora é uma forma de o assassino cobrir uma de suas vítimas durante o retorno.

A MESMA CASA DE 1978

A casa onde Laurie Strode mora no filme de 2018 é uma réplica daquela vista em 1978, mas com algumas alterações para tornar a protagonista mais segura e protegida contra ataques. É um cenário que acabou reaproveitado, visto que Green planejava filmar uma cena ambientada no final do primeiro filme, e preciso de uma reconstrução da casa. Outro detalhe bacana é que Laurie tem uma casa de bonecas em seu quarto, que é uma versão miniatura da casa de Michael Myers.

LEMBRANDO DE HALLOWEEN II

O novo Halloween apagou Halloween II – O Pesadelo Continua dessa linha do tempo, mas não é motivo para não relembrar suas partes boas. Durante o elaborado plano sequência em que Michael entra em múltiplas casas para cometer assassinatos, temos uma recriação de um dos planos do filme de Rick Rosenthal, com Michael usando uma faca de açougueiro para matar uma mulher em sua cozinha – que usa um figurino deliberadamente similar ao do filme de 1981.

ATMOSFERA DE HADDONFIELD

Quando temos Allyson e seus amigos caminhando pelas ruas de Haddonfield para ir à escola, é uma recriação direta do mesmo estilo de atmosfera do primeiro filme, que também trazia Laurie e suas amigas pelas ruas de Haddonfield. Reforçando a metalinguagem, nessa cena em questão, os três discutem sobre como os assassinatos de Myers “são pouca coisa” perto do que acontece nos tempos atuais, além de refutarem a ideia de que Laurie e Michael são irmãos.

Sam Loomis em Halloween

DIVERSOS COADJUVANTES DO ORIGINAL, ANOS DEPOIS

Em um exercício de observação, podemos reparar no retorno de diversos coadjuvantes para o novo filme. O principal policial do filme é Frank Hawkins, que menciona ter sido o responsável por ajudar Laurie durante sua chamada no primeiro filme, enquanto Cameron, o namorado de Allyson, é filho de Lonnie Elam; um dos valentões que importunava o menino que Laurie cuidou em 1978. Além disos, Colin Mahan recria a voz do Dr. Samuel Loomis (o falecido Donald Pleasence) para uma cena onde ouvimos o antigo psiquiatra de Michael em uma gravação.

MÁSCARAS DE A NOITE DAS BRUXAS

Um dos filmes mais esquecidos da franquia, Halloween III – A Noite das Bruxas é notório por ser o único filme sem Michael Myers, sendo uma história de antologia focada em três máscaras de Dias das Bruxas sinistras. Essas mesmas máscaras, de uma bruxa, caveira e abóbora, fazem uma breve aparição no novo filme, sendo usada por crianças no bairro.

Crítica | Halloween