Recentemente, a Marvel publicou The Art of Avengers: Infinity War, um livro repleto de artes conceituais de Vingadores: Guerra Infinita, um dos maiores lançamentos deste ano do estúdio.

O que os fãs não esperavam é que, graças ao livro, diversas dúvidas em relação à trama do longa seriam sanadas. Em The Art of Avengers: Infinity War, algumas curiosidades e detalhes do roteiro acabaram sendo revelados, e nós elencamos as maiores descobertas na lista abaixo:

Vingadores: Guerra Infinita | Ranqueamos as mortes pelo estalo em ordem de tristeza

A batalha do Doutor Estranho era mais bela

>> CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

A luta entre o Doutor Estranho e Thanos no cinema era um tanto quanto bela, mas algumas artes conceituais revelavam detalhes ainda mais bonitos para o embate. Isso aconteceria a partir do momento em que o vilão e o herói entrassem em diferentes dimensões, e ao viajar por essas dimensões, os espectadores teriam contato com locais e ambientes que eram de encher os olhos.

Como Thanos sobreviveu ao fim de Titã

Titã, a terra natal de Thanos, acabou sendo destruído pela escassez de suprimentos naturais. Thanos escapou da morte certa no planeta graças ao fato de ter sido exilado pouco antes do local apodrecer de uma vez. O que ocorreu foi que o vilão chegou a orientar seus governantes a eliminar metade da população do local, mas foi julgado como um louco e exilado longe de Titã por isso.

O motivo de Thanos não ter matado os Vingadores

Thanos enfrentou os heróis diversas vezes no decorrer do filme, mas não tentou matá-los durante os combates. O motivo, segundo o livro, é que Thanos percebeu que estava tão poderoso com as Joias do Infinito, que ele acreditava que não precisaria se incomodar com meros humanos e resolveu não eliminá-los imediatamente. Somente quando obteve todas as joias, ele matou alguns dos heróis.

A batalha de Wakanda

O embate final do filme seria um pouco diferente segundo algumas artes. Hulk aparecia lutando contra os Outriders (os monstros controlados por Thanos), algo que não aconteceu no filme. Além disso, o Máquina do Combate teria uma grande importância na batalha, chegando a usar duas diferentes armaduras na sequência.

Os visuais de Proxima Meia-Noite e Thanos

As artes conceituais do longa revelaram uma versão diferente do visual de Thanos, pois algumas delas mostravam o titã com uma armadura completa que ele quase não usa no filme. A Marvel resolveu re-utilizar alguns detalhes dessa armadura no visual de Proxima Meia-Noite, uma das generais do poderoso vilão.

O poder da Joia da Alma

O livro revelou um detalhe interessante sobre a Joia da Alma e seu protetor, o Caveira Vermelha. O vilão aparece para Thanos com aparência similar a de um fantasma ao se mostrar como guardião da poderosa Joia. A Marvel escolheu tal visual porque queria brincar com a ideia de que ele era um ser fantasmagórico que perdeu completamente a humanidade e sua alma. Essa transformação do vilão se deve ao poder da própria Joia da Alma, que teria aprisionado a alma do personagem.

A trama do filme quase foi bem diferente

É comum que sejam criadas artes conceituais para filmes quando seus roteiros ainda estão sendo desenvolvidos. Isso aconteceu com Guerra Infinita, e por isso foi possível descobrir que partes da trama do filme mudaram drasticamente na versão do cinema, como é o caso da batalha de Nova York, que teria a presença dos Outriders.

A cena em que o Capitão América salva a Feiticeira Escarlate e o Visão também mudou, pois se passaria no natal, segundo algumas artes. Já a arma usada por Thor quase foi bem diferente, e o livro mostra o herói com algum tipo de arma de fogo e não com o machado apresentado no filme.

O funcionamento da armadura do Homem de Ferro

No filme, o Homem de Ferro surge com uma nova armadura feita de nanotecnologia. O livro revela alguns detalhes dessa armadura: ao que parece, Tony Stark inseriu em seu corpo alguns implantes cirúrgicos nos quais ele guarda parte dessa nanotecnologia. É dessa forma que ele consegue vestir a armadura tão rápido quando precisa entrar em ação.

A roupa do Homem-Aranha era diferente

A nova roupa do Homem-Aranha em Guerra Infinita seria levemente diferente. Ao invés de ter uma coloração vermelha e azul, algumas artes revelam que o herói surgiria com um uniforme dourado, que remete diretamente ao visual apresentado pelo personagem durante a história da Guerra Civil dos quadrinhos.

O motivo dos Outriders não serem iguais aos quadrinhos

Os Outriders sofreram algumas alterações visuais em sua versão do cinema, deixando de ter uma pele totalmente escura como nos quadrinhos. O motivo dessa mudança ocorreu porque a Marvel temia que os personagens ficassem com um visual muito similar ao do vilão Venom, que ganhou um filme em outubro.

Uma referência aos Eternos

Uma arte do filme revelava um santuário feito de tecnologia antiga e que era guardado por Thanos. Poucos detalhes desse santuário foi revelado, mas sabe-se que a tecnologia dele poderia ser uma referência aos Eternos, o grupo de antigos seres espaciais da Marvel.

Loki sobrevivia em um roteiro falso

Vingadores: Guerra Infinita possuía diversos roteiros falsos para que spoilers não fossem divulgados antes da hora. O livro explica que um desses roteiros mostrava que Loki havia sobrevivido ao ataque de Thanos ao confundir o titã e fugir da nave em que estava com Thor.