Ainda que tenha se mostrado um ano sólido para produções hollywoodianas, 2018 também teve sua inevitável parcelas de fracassos e bombas nas bilheterias mundiais.

Abaixo, confira as principais decepções comerciais do ano, lembrando que o que define um sucesso é o lucro que o projeto traz em relação a seu orçamento de produção.


Han Solo: Uma História Star Wars

Uma combinação de fatores infelizes garantiu a pior arrecadação da saga Star Wars nos cinemas. A ideia de um filme sobre o jovem Han Solo já não era empolgante para muitos, e ficou menos atraente quando a LucasFilm demitiu os diretores Chris Miller e Phil Lord. Pra piorar, o filme foi lançado pouco menos de um mês após Vingadores: Guerra Infinita e Deadpool 2. O resultado? US$ 390 milhões para um filme que certamente custou bem mais caro. Que Star Wars permaneça sempre no Natal.

Robin Hood: A Origem

Ninguém pediu, não parecia bom e literalmente ninguém estava interessado em mais um reboot de Robin Hood. Massacrado pela crítica, o filme estrelado por Taron Egerton trouxe míseros US$ 65 milhões em sua bilheteria mundial, sendo um fracasso que metade do planeta nem vai lembrar daqui alguns meses.

O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos

Na mesma categoria de “tentativa desesperada de iniciar franquia” e “ninguém pediu”, a Disney tem um fracasso embaraçoso na forma de O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos. Além das péssimas críticas e a execução pavorosa, o filme estrelado por Mackenzie Foy trouxe apenas US$ 138 milhões na bilheteria mundial, pouco considerando o orçamento inchado de US$ 138 milhões da produção fantasiosa.

Uma Dobra no Tempo

Por falar em fantasia da Disney, Uma Dobra no Tempo foi outro tiro no pé do estúdio de Mickey Mouse. Também prejudicado por uma recepção fraca, o filme de Ava DuVernay trouxe apenas US$ 132 milhões em todo o mundo, algo pouco lucrativo considerando o orçamento de US$ 100 milhões e o elenco estrelado que conta com Oprah Winfrey e Reese Witherspoon.

Mentes Sombrias

Um dos vários best sellers adolescentes que a Fox adaptou este ano, Mentes Sombrias foi mais uma tentativa de correr atrás de franquias como Jogos Vorazes e Maze Runner.

Crimes em Happytime

Comédia que parte de uma premissa absurda de trazer paródias dos muppets como detetives, Crimes em Happytime certamente não agradou a muitos. O filme com Melissa McCarthy arrecadou US$ 27 milhões ao redor do mundo, nem chegando perto de compensar seu orçamento de US$ 40 milhões. Vamos todos esquecer que esse filme aconteceu, para o bem dos envolvidos.

Millennium: A Garota na Teia de Aranha

Por mais que sejam livros populares, a Sony Pictures deveria ter aprendido a lição de que Millennium não faz dinheiro nos cinemas americanos. Não foi rentável com o excelente filme de David Fincher, não tinha grandes chances com o reboot pouco inspirado de Fede Alvarez, que adaptou A Garota na Teia de Aranha, saindo com uma bilheteria global de US$ 31 milhões.