A cerimônia do Globo de Ouro 2019 encerrou-se, e apesar de ser uma noite previsível em sua maior parte, tivemos algumas surpresas e injustiças pesadas ao longo da apresentação.

Confira abaixo os momentos que foram inesperados, tanto para um lado positivo quanto algo negativo.

Globo de Ouro 2019 | A lista completa dos vencedores


SURPRESAS

MELHOR ATOR EM FILME DE DRAMA – RAMI MALEK (BOHEMIAN RHAPSODY)

Quem diria. Rami Malek fez um trabalho fantástico ao interpretar Freddie Mercury em Bohemian Rhapsody, cinebiografia da banda Queen, mas ninguém esperava que de fato fosse vencer. O favorito da categoria era Bradley Cooper, por Nasce Uma Estrela, mas Malek provou que o filme de Bryan Singer tem amor pela HFPA, que ainda o premiou na categoria principal!

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE DRAMA – RICHARD MADDEN (SEGURANÇA EM JOGO)

Uma das séries mais bem elogiadas do ano passado foi o thriller britânico Segurança em Jogo, e poucos esperavam que o astro Richard Madden saísse vitorioso na categoria, que previa a vitória de Billy Porter. O ator de Game of Thrones fez um trabalho fantástico como o guarda-costas de uma política britânica, podendo usar seu sotaque irlandês natural, garantindo uma performance extraordinária e digna do prêmio.

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA – MICHAEL DOUGLAS (O MÉTODO KOMINSKY)

Quem diria que Michael Douglas iria se reinventar em uma série de comédia da Netflix, demonstrando um talento cômico impressionante. O ator ainda conseguiu desbancar nomes de peso como Bill Hader (Barry) e Donald Glover (Atlanta) com seu trabalho em O Método Kominsky, uma das surpresas da noite.

INJUSTIÇAS

MELHOR FILME DE DRAMA – QUALQUER OUTRO DOS INDICADOS

Bohemian Rhapsody não é um filme ruim. Mas em comparação com os outros indicados, é uma obra muito inferior, especialmente levando em consideração seus problemas de produção, as incongruências históricas e a fórmula básica de uma biografia. Nasce Uma Estrela, Infiltrado na Klan e até mesmo Pantera Negra eram vencedores mais dignos.

MELHOR ATRIZ EM FILME DE DRAMA – LADY GAGA (NASCE UMA ESTRELA)

Glenn Close é uma lenda de Hollywood, e finalmente está encaminhada para ganhar seu primeiro Oscar. Mas era de se esperar que Lady Gaga fosse reconhecida por seu trabalho fenomenal em Nasce Uma Estrela, o tipo de performance que – literalmente – estabelece uma nova estrela para a indústria do cinema, onde Gaga atua tão bem quanto canta. Mas definitivamente veremos a atriz e cantora em mais premiações no futuro.

MELHOR ROTEIRO – A FAVORITA

Uma das surpresas infelizes da noite foi a derrota do texto requintado e inteligente da comédia de humor negro A Favorita, que acabou perdendo para Green Book: O Guia, uma trama mais correta e sem pretensões tão grandes quanto o filme de Yorgos Lanthimos. O trabalho do trio por trás de Green Book não é ruim, mas muito abaixo do altíssimo nível de A Favorita, que definitivamente era o melhor trabalho dentre os indicados.

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA – THE MARVELOUS MRS. MAISEL

Chuck Lorre encontrou um de seus sucessos mais divertidos em anos ao fazer O Método Kominsky para a Netflix, mas não foi um trabalho à altura da brilhante segunda temporada de The Marvelous Mrs. Maisel, que mantém o mesmo nível de prestígio da primeira temporada.

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA OU MUSICAL – DONALD GLOVER (ATLANTA)

Após perder também no Emmy a derrota de Donald Glover como melhor ator em Atlanta foi outra surpresa negativa. O ator e cantor continuou mantendo seu estilo cômico peculiar na segunda temporada de Atlanta, mas alcançou um novo nível de bizarro com sua sinistra performance em “Teddy Perkins”, onde interpreta um homem branco ao estilo Michael Jackson. Uma boa celebração para o premiado Michael Douglas, mas Atlanta merecia mais barulho.

MELHOR MINISSÉRIE – ESCAPE AT DANNEMORA

Em comparação com anos anteriores, a categoria de Melhor Minissérie foi consideravelmente mais fraca, e a segunda temporada de American Crime Story definitivamente não era a melhor escolha. O Assassinato de Gianni Versace empalidece diante da primeira temporada, e o trabalho de Ben Stiller com o drama criminal Escape at Dannemora, é uma narrativa bem mais envolvente e memorável.

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE OU MINISSÉRIE – PENELOPE CRUZ (O ASSASSINATO DE GIANNI VERSACE: AMERICAN CRIME STORY)

Desde seus segundos iniciais, Penelope Cruz está completamente surreal em seu retrato de Donatella Versace. Facilmente o melhor papel de sua carreira, contando até mesmo com suas personagens no cinema. É uma coadjuvante forte em uma série povoada por excelentes intérpretes, e merecia ter subido ao palco com Darren Criss.