Leaving Neverland é um documentário que está causando grande polêmica. A peça traz depoimentos de homens que garantem terem sido abusados por Michael Jackson durante a infância.

O filme, que teve exibição no Festival de Sundance, acompanhou principalmente dois casos, o de James Safechuck e Wade Robson. Na época dos supostos abusos, os acusadores tinham entre 7 e 10 anos.

Os homens descrevem em Leaving Neverland abusos explícitos que teriam acontecido por parte de Michael Jackson, com detalhes. Dentro desses depoimentos, há cinco momentos que são realmente chocantes. Confira:


Casamento de Mentira

Safechuck alega no documentário que sempre foi interessado por joias na infância e pré-adolescência. Sabendo disso, Michael Jackson levaria a suposta vítima em diversas joalherias e lojas para comprar agrados. A desculpa do cantor seria que as pequenas mãos do garoto eram perfeitas para medir com as de suas namoradas.

Uma dessas joias teria sido um anel de diamantes. O que chama atenção é que a entrega dele teria sido em uma cerimônia de mentira, onde Michael Jackson e Safechuck teriam até trocado votos.

Mensagens amorosas por fax

Robson afirma que na década de 80 ganhou uma moderna máquina de fax de Michael Jackson. A peça era considerada uma das mais novas da tecnologia. De acordo com o acusador, a intenção do cantor seria a de enviar mensagens amorosas.

“Eu amo você pequeno. Me faça feliz e seja o melhor”, diziam algumas mensagens.

Algumas das mensagens chegam a ser mostradas em montagens. Michel Jackson fazia até desenhos para Robson. A mãe da suposta vítima afirma que a estrela do pop tinha as paredes do seu quarto tomadas com as mensagens.

Neverland era uma cama gigante

O documentário Leaving Neverland dá uma outra conotação para o famoso rancho de Michael Jackson. Conforme os depoimentos de Safechuck, o local foi construído com diversas camas escondidas para que os abusos fossem realizados.

Safechuck garante que o cinema do cantor na mansão tinha uma “caixa privada”, com apenas uma entrada que ninguém poderia ver; outra na estação de trem de Neverland; e ainda um flat repleto de tendas. A suposta vítima também alega que as piscinas eram os locais para brincadeiras de sexo oral.

Destruição de provas

As acusações de Robson e Safechuck são graves, por isso, todos querem saber onde estão as provas. Robson garante que a maioria foram destruídas. Um desses casos foi até contado.

Após anos, Michael Jackson se encontrou com Robson, em 1997. O garoto, então, tinha 14 anos e estava tão alto quanto o cantor. Durante a History World Tour, o menino foi ao quarto do Rei do Pop e um último ato aconteceu, com o famoso tentando penetrar na suposta vítima.

A ação se tornou dolorosa e Michael Jackson desistiu. No entanto, as roupas ficaram manchadas com sangue. No dia seguinte, uma secretária ligou para o menino e pediu para que ele se encontrasse novamente com o cantor. O famoso ordenou que Robson se livrasse imediatamente das roupas.

Nessa época, Michael Jackson já era acusado de ter cometido abusos em menores de idade.

Treinamento para não ser pego

Segundo Safechuck, Michael Jackson criou uma série de técnicas para evitar ser pego em suas relações com crianças. Haviam sinos entre as portas da suíte do cantor, que avisavam que alguém estava se aproximando.

Durante os show, Jackson ainda teria usado “pregas” em suas roupas que as ajudavam a se vestir mais rápido, impedindo que qualquer pessoa o pegasse desprevenido.

O documentário será exibido no primeiro trimestre de 2019 pela HBO.