Está chegando a hora da maior festa da Sétima Arte acontecer! A cerimônia do Oscar 2019, prêmio entregue pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, promete ser uma das mais peculiares de sua história. Seja pela lista de filmes indicados ou todas as polêmias envolvendo a organização do evento, que cortará categorias da transmissão, não tem um anfitrião central e por aí vai.

Neste especial, estudaremos algumas das principais categorias do Oscar 2019. Olhando para cada indicado individualmente para analisar suas chances de vitória e o trabalho no geral que está sendo celebrado em sua respectiva área.

Na terceira parte, analisaremos os 5 indicados na categoria de Melhor Direção.


Quem vai ganhar o Oscar 2019? | Analisando a categoria de Melhor Filme

DIREÇÃO

Alfonso CuarónRoma

Já tendo vencido por seu trabalho em Gravidade, Alfonso Cuarón deve levar mais um Oscar de direção para o México – após as vitórias de Guillermo Del Toro e Alejandro G. Iñarritu nos últimos anos. Em Roma, Cuarón volta à sua abordagem mais intimista, tal como E Sua Mãe Também, e traz uma direção mais emotiva e melancólica, usando uma fotografia em preto e branco belíssima para dar vida a suas memórias. A câmera de Cuarón é sempre estática, com panorâmicas controladas para explorar os ambientes e as relações entre os personagens – e os famosos planos sequência garantem momentos de pura tensão, vide a a sequência do parto ou a cena climática das ondas da praia. O grande favorito da categoria, e o melhor trabalho de direção entre os indicados. Tem Globo de Ouro, BAFTA e DGA para sustentar a vitória inevitável.

Yorgos LanthimosA Favorita

Cineasta grego responsável por Dente Canino, O Lagosta e O Sacrifício do Cervo Sagrado, Yorgos Lanthimos finalmente ganha reconhecimento da Academia. No comando da comédia de humor negro de época A Favorita, Lanthimos oferece uma visão radicalmente diferente para esse gênero, que normalmente é mais controlado e “correto”, mas que aqui é caótico e quase surrealista, algo que transparece pelas escolhas de lentes do diretor – apaixonado pelas grandes angulares estilo fish eye. Lanthimos também conduz a tensão e o humor de forma admirável, tirando o melhor de seu elenco formidável.

Spike LeeInfiltrado na Klan

Pode parecer difícil de acreditar, mas essa é apenas a primeira indicação de Spike Lee como diretor, um dos nomes mais importantes do cinema americano negro. Em Infiltrado na Klan, Lee faz um de seus trabalhos mais agitados, adotando as batidas de um bom filme policial da década de 70, o que garantem sequências angustiantes e intensas, mas ao mesmo tempo é capaz de segurar um ritmo divertido nos momentos certos. Não é um filme sutil em seu retrato dos movimentos de supremacia branca nos EUA, e Lee abraça a militância durante a cena final como poucos cineastas contemporâneos fizeram, mas o resultado é extremamente satisfatório; e que atinge o espectador com um soco no estômago.

Adam McKayVice

Saído de comédias como Ricky Bobby – À Toda Velocidade e O Âncora: A Lenda de Ron Burgundy, Adam McKay atingiu prestígio com A Grande Aposta, e retorna à festa do Oscar com Vice. O trabalho de McKay é menos inspirado aqui do que em A Grande Aposta, adotando uma estética semi documental e que raramente traz algo estimulante ou digno de nota – é um trabalho básico, e que depende muito mais do seu roteiro. Os momentos mais inspirados são quando McKay de fato tenta algo mais criativo, como ao imaginar um jantar chique para que Dick Cheney e sua equipe pudessem escolher táticas para revidar o 11 de Setembro. Um trabalho que realmente não precisava estar indicado.

Pawel PawlikowskiGuerra Fria

Grande surpresa da categoria, o polonês Pawel Pawlikowski foi lembrado por seu trabalho em Guerra Fria, que também concorre em Fotografia e Filme Estrangeiro. Assim como o trabalho de Cuarón em Roma, Pawlikowski abraça o minimalismo e a estética preto e branco para narrar uma melancólica história de amor. É um filme que depende da força de suas imagens, que sempre se manifestam em enquadramentos estilizados e que respeitam uma geometria específica. Pawlikowski tem um ritmo lento e usa o “blocking” para expressar emoções e intenções dos personagens, em uma abordagem que é esteticamente bela, mas que não deve agradar a todos.

Quem VAI ganhar: Alfonso Cuarón
Quem PODE ganhar: Spike Lee
Quem DEVERIA ganhar: Spike Lee

Quem vai ganhar o Oscar 2019? | Analisando a categoria de Melhor Filme

Quem vai ganhar o Oscar 2019? | Analisando as categorias de Atuações

Quem vai ganhar o Oscar 2019? | Analisando a categoria de Melhores Efeitos Visuais