Com todos os heróis e vilões da DC à sua disposição, era de se esperar que Titãs apostasse na fidelidade às tramas das HQs. A primeira temporada da série, mesmo adotando um tom mais sombrio do que o dos quadrinhos, usou muitas referências e inclusões bem pensadas do Universo da DC.

Titãs | Intérprete de Donna Troy mostra preparo físico para 2ª temporada da série

Nos 11 episódios já lançados da série, alguns elementos dos quadrinhos foram modificados em parte, e outros mudados completamente. Confira abaixo 5 aspectos da série que permaneceram iguais às HQs e 5 que se desviaram do cânone.


Atenção! Contém spoilers da 1ª temporada de Titãs.

O que ficou igual?

A briga entre Robin e Batman

Antes de liderar os Titãs, Dick Grayson estava trabalhando para a polícia de Detroit, após abandonar o posto de Robin, por razões não especificadas. Logo no início da série, uma briga entre Grayson e Bruce Wayne é apontada como a razão da mudança brusca do personagem. Nas HQs, Grayson ficou cansado de atuar como o ajudante adolescente de um Batman frio e muitas vezes egocêntrico. Eles tiveram várias brigas antes do herói desistir de vez da vida de Robin.

Jason Todd é violento e imprevisível

Após o adeus de Dick Grayson, Bruce Wayne tratou logo de encontrar um novo Robin. Ele adotou Jason Todd, um menino de rua. Em pouco tempo, Batmam iria perceber que o novo Robin tinha um temperamento violento e imprevisível, que combinava mais com um vilão do que com um herói. Nas HQs, ele acaba sendo morto pelo Coringa, e depois volta à vida e se torna o líder da gangue do Capuz Vermelho. Na série, Jason Todd apresenta o mesmo temperamento inflamável e petulante.

O pai de Ravena e a formação dos Titãs

Nas HQs, o pai de Ravena é o demônio Trigon, uma poderosa e sádica entidade interdimensional. Ele veio visitar Ravena em seu aniversário de 18 anos, o que ocasionou a formação dos Novos Jovens Titãs, que a ajudaram a selá-lo em uma prisão cósmica. Um dos pontos principais de Titãs é Ravena aprendendo a lidar com seus poderes e com a revelação de sua verdadeira origem, além da formação da equipe de heróis. A série também sugeriu que Trigon possuiu uma forma cósmica, mesmo que ele só tenha aparecido em forma humana na primeira temporada.

Mutano

Mesmo que a pele de Mutano não seja verde o tempo todo, a versão do herói em Titãs é muito semelhante à das HQs. A personalidade dele não muda nem um pouco. Mutano tem humor de sobra, mesmo usando piadas para mascarar seus dilemas internos. Ele é introduzido inicialmente como um membro da Patrulha do Destino, assim como nas HQs. Além disso, sugestões de um possível relacionamento entre Mutano e Ravena aconteceram em vários episódios da primeira temporada.

A Patrulha do Destino

Em um dos melhores episódios da primeira temporada de Titãs, o público é introduzido à Patrulha do Destino. Escrito exatamente para promover o lançamento da série da inusitada equipe de heróis, o quarto episódio de Titãs conseguiu trazer tragédia e comédia de forma brilhante, assim como as HQs. As personalidades e looks dos heróis são muito semelhantes às das versões dos quadrinhos.

Patrulha do Destino | Entenda como a série se conecta com Titãs

O que mudou?

Violência excessiva

Em uma das primeiras cenas da série, Dick Grayson aparece como um personagem violento e cheio de ódio, sentindo prazer em espancar criminosos. Embora a briga entre ele e Bruce Wayne também tenha acontecido nas HQs, ele nunca perde sua leveza e senso de humor, e não cede à violência e à raiva.

A origem de Ravena

Nas HQs, Rachel Roth/Ravena cresceu em uma dimensão alternativa chamada Azarath, e foi ensinada a controlar seus poderes pelo líder espiritual pacifista Azar. A ideia era suprimir a energia demoníaca que crescia dentro dela, já que seu pai é um demônio interdimensional, que engravidou a humana Angela. A série modifica a origem da personagem completamente. Ela vive no mundo humano, com sua mãe, com medo de sua personalidade diabólica. Ela não conta com Azar para ajudá-la a lidar com seus poderes, e tem que aprender na marra no decorrer da primeira temporada.

A história de Estelar

Estelar é (discutivelmente) a personagem menos fiel às HQs entre os protagonistas da série. Alguns elementos canônicos de sua história são mantidos, mas grande parte é modificada. A heroína é introduzida como Kory Anders, que descobre seus poderes após acordar de um coma resultante de um acidente de carro. Eventualmente, ela descobre que é uma alienígena do planeta Tamaran, que foi enviada à terra para matar Ravena e prevenir a ressurreição de Trigon. Nas HQs, a história de origem de Estelar não é ligada à de Ravena. Além disso, ela não usa seus poderes para queimar humanos vivos, como sua contraparte da série.

A Família Nuclear

Grandes antagonistas da primeira temporada de Titãs, a Família Nuclear é bem diferente nas HQs. Ela é composta por um grupo de androides idênticos à família do Dr. Eric Shanner. Os membros do grupo contam com poderes similares à diferentes estágios de bombas nucleares. Na série, o equipe de vilões aparece como uma família comum dos anos 50, só que formada por assassinos. No final da temporada, é revelado que eles são humanos que sofreram lavagem cerebral pela misteriosa organização obcecada com a ressurreição de Trigon.

Em Titãs, Rapina e Columba são dois vigilantes mascarados que compartilham um passado com Robin. Os personagens não têm super-poderes, que difere muito das versões da dupla nas HQs. Nos quadrinhos, Columba conta com um “senso de perigo” (semelhante ao sentido aranha de Peter Parker), e Rapina tem super-força e resistência. Além disso, Columba pode usar seus poderes para suprimir a natureza violenta e a raiva de Rapina.

Titãs | Os momentos mais sombrios da 1ª temporada

Titãs acompanha a formação do grupo que tem Robin como líder. Na série, Mutano, Estelar e Ravena são os outros membros da equipe, mas a história ainda traz os heróis Rapina, Columbo e Donna Troy.

Todos os episódios da primeira temporada de Titãs já estão disponíveis na Netflix. A segunda temporada ainda não tem previsão de estreia, mas deve começar produção em breve.