Os irmãos Anthony e Joe Russo se tornaram duas das figuras mais importante do Universo da Marvel Studios. Tendo dirigido quatro filmes na franquia, a dupla tomou diversas decisões que modificou o estilo da saga.

Aqui, analisamos 6 decisões dos Russos que foram positivas, e 3 que desapontaram os fãs.

Positivo: a ação

Quando pensamos nos irmãos Russo, é logo a ação que vem à mente. O estilo de luta realista e coreografado chamou atenção em Capitão América 2: O Soldado Invernal, e evoluiu de forma empolgante para Guerra Civil e os dois filmes dos Vingadores.


Positivo: equilíbrio de tom

Em Soldado Invernal e Guerra Civil, os Russos trouxeram uma abordagem mais sombria e até política, apostando em discussões sérias de personagens e até discursos sobre o bem maior em Guerra Infinita e Ultimato. Tudo isso sendo bem costurado com um bom humor que – na maioria das vezes – não atrapalha e garante um bom equilíbrio. Do jeito que o Thanos gosta.

Positivo: desenvolvimento de personagens

O Capitão América certamente se tornou mais interessante e complexo nas mãos dos Russos, e a dupla não parou por aí. Todos os personagens ganharam destaque e espaço para desenvolver emoções mais humanas – algo que vem como herança do passado da dupla em séries de televisão.

Positivo: o desfecho de Ultimato

Vingadores: Ultimato era uma tarefa difícil de ser executada, mas felizmente a dupla garantiu um resultado ótimo. O final foi extremamente satisfatório e emocionante, sendo a decisão certa para 11 anos de Marvel Studios.

Positivo: Tom Holland, Anthony Mackie e Chadwick Boseman

Os irmãos Russo foram responsáveis por escalar alguns dos nomes mais importantes do Universo Cinematográfico da Marvel. Ninguém menos do que o Homem-Aranha de Tom Holland, o Pantera Negra de Chadwick Boseman e o Falcão/futuro Capitão América de Anthony Mackie foram todos escalados pela dupla. Responsabilidade, e que deu certo.

Negativo: Guerra Civil sem mortes

Por mais que Capitão América: Guerra Civil seja um ótimo filme e a cena do aeroporto seja sensacional, é um conflito vazio. Nenhum dos personagens na luta está indo com intenções letais, e o confronto que reparte os Vingadores acaba sem perdas importantes. Sem nenhuma perda, na verdade.

Negativo: Thor gordo

Às vezes, o humor pode ir longe demais. A ideia de termos um Thor mais depressivo e largado em Vingadores: Ultimato foi ótima, mas a execução levou demais para o pastelão; e a maquiagem de enchimento de Chris Hemsworth mais remetia a uma comédia de Eddie Murphy.

Negativo: armaduras digitais

Desde que a Marvel desistiu de usar armaduras inteiramente práticas após Homem de Ferro 3, eu nunca mais acreditei no traje. Infelizmente, o efeito visual fica muito mais evidente e falso nas mãos dos Russos, que promovem o efeito da “cabeça flutuante” em todas as cenas com Tony e Peter Parker em suas armaduras. Ao menos, o efeito fica melhor em Ultimato.

Negativo: a fotografia

Em termos estéticos, os irmãos Russo não são dos mais inspirados. Trent Opaloch fotografou os 4 filmes da dupla, e ainda que tenham resultados mais satisfatórios nas cenas espaciais, a maioria das tomadas é prejudicada por uma paleta de cores com baixo contraste e uma presença forte de cinza. Em outras palavras, não são filmes bonitos de se olhar – comparando com os Guardiões da Galáxia de James Gunn, por exemplo. E é uma questão de fotografia.

Vingadores: Ultimato está em cartaz nos cinemas.