Mais um clássico do terror de Stephen King está ganhando as telas. A nova versão de Cemitério Maldito finalmente chegou, tornando esta uma boa hora para relembrar o filme de 1989.

Ainda que a história e boa parte de seus elementos sejam mantidas, há algumas diferenças cruciais entre o filme de Mary Lambert e o da dupla Kevin Kolsch e Dennis Widmyer.

Confira abaixo.


A influência de Victor Pascow

Em ambas as versões, Louis ainda é assombrado pelo espírito de Victor Pascow, um paciente de cabeça estourada que ele foi incapaz de salvar. Na versão de 89, Pascow é quase um alívio cômico, além de muito mais sarcástico – quase no viés de Um Lobisomem Americano em Londres. No remake, Pascow definitivamente é mais ameaçador, e garante algumas das cenas mais tensas do longa.

Missy Dandridge

O filme de 1989 traz uma personagem ausente na nova versão. Missy Dandrige era a empregada doméstica da família de Louis, e que tinha um certo conhecimento sobre a natureza sombria do Cemitério. Mais isolação para os personagens no remake.

Crianças mascaradas

Um dos conceitos mais explorados pelo marketing do novo filme é o de crianças mascaradas. Como não usar, certo? São crianças com máscaras sinistras de animais empalhados, que fazem marchas fúnebres para enterrar bichinhos no cemitério de animais. Inexistentes no filme de 89.

Filho diferente

É aí que o remake realmente pegou todos de surpresa. No filme de 89, é o pequeno Gage quem morre em um trágico acidente na estrada. No filme novo, Gage é salvo, mas a carreta do caminhão acaba atingindo Ellie, a filha mais velha. Faz mais sentido, considerando que o longa passou muito mais tempo desenvolvendo essa personagem.

A irmã Zelda 

O terror pessoal de Rachel fica ainda mais forte aqui. Em ambas as versões, Rachel tinha uma irmã, Zelda, que morreu após consequências de sua meningite espinal. No remake, Zelda ainda sofre da doença, mas sua morte foi acidentalmente provocada por Rachel, que usou o elevador defeituoso da casa para lhe levar o jantar, e acabou provocando sua queda. Isso sem falar que a versão do remake gera cenas mais pavorosas, e menos exageradas do que as do de 89.

O final 

Essa é a grande mudança, e onde alguns fãs certamente irão se dividir. No final do filme de 89, Louis é forçado a matar a versão “zumbi” de Gage, especialmente após este matar Rachel. Ele desesperadamente a leva para o Cemitério Maldito, para trazê-la de volta. Quando ela retorna, ela usa uma faca para matá-lo. O remake vai por um caminho bizarro, onde a Ellie zumbi mata Rachel e então a leva para o Cemitério. Quando ela retorna, ambas matam Louis e realizam o mesmo processo, com a cena final trazendo a “família zumbi” indo fazer o mesmo com o pequeno Gage. É, às vezes morto é melhor.

O elenco do novo filme conta com Jason Clarke (O Primeiro Homem), John Lithgow (The Crown) e Amy Seimetz (Alien: Covenant), que protagonizam a história sobre um cemitério amaldiçoado.

O livro de King já foi transformado em filme no ano de 1989, com direção de Mary Lambert. No final desse ano, a obra completa 35 anos desde que foi lançada pelo autor.

Cemitério Maldito já está em exibição nos cinemas.