Com a estreia de Vingadores: Ultimato nos cinemas, a Marvel Studios ultrapassa a marca de 22 filmes e 11 anos nas telas desde sua fundação, em 2008.

Aproveitando a ocasião, vamos olhar para o quadro geral e ranquear todos os 22 filmes do Universo Cinematográfico da Marvel Studios, em uma lista que vai do pior ao melhor.

Vale lembrar que apenas os filmes do MCU entram na lista, invalidando filmes dos X-Men ou os projetos da Sony Pictures, como Homem-Aranha no Aranhaverso e Venom.


Confira a seguir.

22. Thor: O Mundo Sombrio (2013)

A Marvel Studios demorou para acertar o tom do Deus do Trovão nos cinemas, e O Mundo Sombrio troca o humor pastelão e a abordagem shakesperiana do filme de Kenneth Branagah para uma aventura genérica e completamente esquecível. Um grande desperdício de Christopher Eccleston como o capenga Malekith e os elfos sombrios.

21. Homem de Ferro 3 (2013)

Que maldição Tony Stark recebeu nos cinemas, nunca sendo capaz de superar o brilho de seu primeiro filme em aventuras solo. Nas mãos de Shane Black, Homem de Ferro 3 resulta em uma aventura esquizofrênica e que falha ao tentar subverter o gênero, transformando Stark em mais uma variação dos policiais que Black tanto adora; algo incongruente com uma trama macarrônica que envolve vilões cuspidores de lava. Ao menos tem algumas boas cenas de ação.

20. Homem de Ferro 2 (2010)

O sucesso de Homem de Ferro foi tão grande que a Marvel aprovou uma continuação imediatamente, gerando um roteiro apressado e que falha em compreender seu protagonista. Homem de Ferro 2 é inchado e soa mais como um grande trailer para Os Vingadores, tendo apenas a performance forte de Robert Downey Jr para se ancorar.

19. Homem-Formiga e a Vespa (2018)

Saído de um começo de ano forte com Pantera Negra e Vingadores: Guerra Infinita, a Marvel Studios voltou dez passos atrás com a continuação de Homem-Formiga. O charme de Paul Rudd e Evangeline Lilly é o que impede esse filme extremamente genérico e mal escrito de cair no esquecimento, além de algumas boas cenas de ação envolvendo os poderes dos protagonistas – mérito do competente diretor Peyton Reed.

18. Capitã Marvel (2019)

No que deveria ser um de seus maiores marcos, por trazer Brie Larson como a primeira super-heroína protagonista da franquia, Capitã Marvel sofre por ser formulaico demais. Larson segura a aventura cósmica, mas o filme não entrega no quesito direção, que soa confusa e mal inspirada nas sequências de ação; que estão entre as piores que o MCU já viu. Carol Danvers é uma personagem interessante, mas merece muito mais.

17. Capitão América: O Primeiro Vingador (2011)

Se fossemos levar em conta apenas a primeira metade de O Primeiro Vingador, onde temos uma história de origem contada à moda antiga com uma deliciosa recriação da década de 40, a aventura com Chris Evans seria um dos filmes melhores dessa lista. Infelizmente, Capitão América abandona sua boa construção para enfrentar vilões desinteressantes e basicamente transformar o restante de sua projeção em um longo trailer de apresentação para os Vingadores.

16. Thor: Ragnarok (2017)

A Marvel Studios desistiu de levar o Deus do Trovão a sério, apelando para o humor de Guardiões da Galáxia e Taika Waititi para virar Asgard de ponta cabeça. É um resultado agridoce, visto que um evento dramático da escola do Ragnarok se torna uma entre as diversas piadas (a maioria delas sem graça) do longa. Mas ao menos o visual é estimulante, assim como a excelente performance de Chris Hemsworth, que finalmente pode explorar seu gigantesco timing cômico de forma satisfatória na franquia.

15. Vingadores: Era de Ultron (2015)

Não era tarefa fácil seguir o maior filme da Marvel Studios, e um dos maiores do gênero naquela época, e não é surpresa que Joss Whedon não alcance o mesmo resultado. Era de Ultron é inchado e claramente sofre de problemas de interferência do estúdio, onde o vilão Ultron é tristemente transformado em um personagem sem muito charme ou senso de ameaça. Os diálogos de Whedon também chegam a incomodar por seu sarcasmo excessivo, mas há uma notável melhora na escala e na direção da ação, ainda que os momentos mais interessantes sejam mesmo os mais intimistas.

14. O Incrível Hulk (2008)

Injustamente, O Incrível Hulk é um dos filmes mais esquecidos do MCU, principalmente por Edward Norton ter sido substituído por Mark Ruffalo em Os Vingadores. O filme de Louis Letterrier é muito eficiente em produzir uma narrativa de caçada e promover uma boa análise da maldição que Bruce Banner carrega; claro, ainda que não tão surtado quanto o filme de Ang Lee. Um bom filme com eficientes cenas de ação, ainda que falhe em representar visualmente seu monstruoso protagonista.

13. Thor (2011)

Na primeira grande aposta da Marvel em um personagem desconhecido, longada estreia de Thor é um resultado estranho, mas que soa cada vez mais interessante com o passar dos anos. O humor envolvendo o núcleo com Natalie Portman definitivamente não funciona, mas a abordagem mais teatral e épica de Kenneth Branaagh para as cenas em Asgard é divertida, e o longa se destaca por ter características visuais mais fortes do que a maioria – com destaque, claro, para os ângulos holandeses.

12. Homem-Aranha: De Volta ao Lar (2017)

Finalmente juntando-se à Marvel Studios para um filme solo, o Homem-Aranha de Tom Holland brilha em uma aventura mais intimista e centrada em seu lado adolescente. É uma decisão que funciona quando estamos focados em Parker e seus amigos, trazendo mais leveza e carisma para o MCU. A situação muda quando a ação começa, e o novato Jon Watts infelizmente revela-se um diretor nada inspirado para grandes sequências, dependendo do pior tipo de CGI para as mais variadas batalhas com o (ótimo) vilão Abutre.

11. Capitão América 2: O Soldado Invernal (2014)

Uma decisão polêmica, já que diversos fãs certamente colocariam a estreia dos irmãos Russo no MCU nas primeiras posições. Assim como seu primeiro filme, Capitão América 2 começa de forma extremamente eficiente, realmente entregando em sua abordagem mais próxima da espionagem e um estilo de ação mais brutal e realista. Infelizmente, o longa se torna mais convencional e repleto de truques baratos de roteiro em sua metade final, quase invalidando o bom trabalho que veio antes.

10. Doutor Estranho (2016)

Um dos personagens mais fascinantes da Marvel, o Doutor Estranho ganha uma aventura de origem muito tradicional e previsível em termos de roteiro, mas que compensa visualmente. A direção de Scott Derrickson é criativa e faz um excelente uso dos oníricos efeitos visuais, que levam as aventuras de Stephen Strange para outro patamar, com fortes inspirações em Matrix e A Origem. Benedict Cumberbatch também mostra-se uma escolha apertadíssima para o papel central, e estamos até hoje esperando o anúncio da continuação.

9. Guardiões da Galáxia Vol. 2 (2017)

James Gunn retorna (pela última vez) ao grande sucesso de Guardiões da Galáxia com uma continuação isolada e dedicada a explorar o desenvolvimento de seus personagens. A temática acaba sendo um tanto repetitiva, visto que os personagens praticamente passam pelo mesmo arco do primeiro filme, mas a obra impressiona em seus quesitos visuais, as performances e a maravilhosa trilha sonora incidental do Awesome Mix; além de uma ótima performance de Kurt Russell como o fascinante vilão Ego.

8. Homem-Formiga (2015)

É um filme que tinha tudo para dar errado, especialmente com a saída do talentoso Edgar Wright para um diretor não muito empolgante. Felizmente, Homem-Formiga agrada por sua comédia assumida, que serve como uma paródia consciente do gênero heist, além de trazer um roteiro criativo e uma direção imaginativa para as cenas envolvendo os poderes de encolhimento do protagonista. Poderia ser ainda mais surtado, mas é um filme divertidíssimo.

7. Capitão América: Guerra Civil (2016)

Em um ano em que Batman e Superman se enfrentariam nos cinemas, a Marvel resolveu adaptar a famosa história de Guerra Civil no MCU. Ainda que o conflito central entre os heróis não tenha um peso dramático verosímil, é extremamente empolgante ver todos os personagens usando seus poderes na batalha do aeroporto, um dos pontos altos absolutos de todo o MCU. O filme também revela uma evolução para os irmãos Russo após O Soldado Invernal, agora de posse de um roteiro muito mais interessante e consistente.

6. Vingadores: Guerra Infinita (2018)

O que Vingadores conseguiu fazer com 6 personagens, Guerra Infinita sucede com um número seis vezes maior. O grande evento da Marvel Studios finalmente trouxe o memorável vilão Thanos para a história, reunindo praticamente todos os seus personagens para enfrentá-lo. O resultado é equilibrado e garante ótimas cenas de ação, além de um final extremamente ousado e corajoso, e que vem deixando os fãs malucos de antecipação para saber o que virá a seguir.

5. Os Vingadores (2012)

O filme que solidificou o sucesso do universo compartilhado da Marvel. Até hoje, o primeiro Vingadores permanece como um filme que entretém e se diverte ao testar as interações diversas entre os diferentes heróis, algo que funciona graças ao eficiente roteiro de Joss Whedon. Ainda que não tão estimulante visualmente, Os Vingadores entrega no espetáculo e garante momentos dignos dos quadrinhos durante a inesquecível batalha de Nova York, que comprovou que super-heróis poderiam, sim, dividir as telas.

4. Guardiões da Galáxia (2014)

A Marvel Studios tende a se sair melhor quando aposta em personagens de terceira categoria, e fornece a liberdade necessária para que seus realizadores explorem seu potencial por completo. James Gunn fez isso com maestria no primeiro Guardiões da Galáxia, que oferece um senso de humor mais ácido e satírico, além de alguns dos personagens mais coloridos e carismáticos da franquia; bem representados com um elenco muito bem entrosado. E, claro, foi a proliferação da fantástica trilha sonora do Awesome Mix.

3. Vingadores: Ultimato (2019)

O MCU finalmente chega a uma grande culminação com seu maior filme até então. É uma aventura maluca e repleta de emoções, com drama, humor e muita nostalgia para a melhor obra dos Vingadores. Um filme evento, que pode ter algumas complicações em sua estrutura e leis da viagem no tempo, mas é uma experiência contagiante.

2. Homem de Ferro (2008)

O filme que começou tudo. Homem de Ferro introduziu todas regras do MCU, desde o foco em um protagonista imperfeito até o estilo de humor, ação e paleta visual que seria seguido anos à frente. O filme de Jon Favreau acerta por ser um belo desenvolvimento do personagem de Tony Stark, em uma performance explosiva de Robert Downey Jr, que voltava para dominar Hollywood em grande estilo. É um filme seguro e que se resolve muito bem na ação, que ainda contava com efeitos práticos e um vilão formidável. Um grande filme, que jamais deve ser subestimado.

1. Pantera Negra (2018)

Quase uma década após o lançamento de Homem de Ferro, a Marvel Studios entrega um dos poucos filmes que parecem ter alma própria. Pantera Negra está bem isolado dos demais filmes do estúdio, e justamente por isso é capaz de explorar uma trama mais complexa, adulta e que mergulha em temas muito mais interessantes do que os demais filmes; desde as responsabilidades de um líder político até a complicada questão dos conflitos raciais nos EUA. Pode não ser eficiente em seus efeitos visuais, mas o filme de Ryan Coogler é – sem dúvida – o mais audacioso e satisfatória filme do MCU.

Vingadores: Ultimato está em exibição nos cinemas.