Quando vemos algo bom, queremos mais, mas conseguir repetir o mesmo resultado pode ser complicado e com certa frequência gera desapontamento. Isso é bem verdade na televisão. Primeiras temporadas de séries são inovadoras, frescas e empolgantes, mas segundas temporadas dificilmente conseguem recriar o mesmo sentimento nos fãs.

Em muitos casos, escritores e diretores não se planejaram para o futuro e precisam conciliar roteiro e enredo com pouco tempo para produção. Em outros casos, uma série tem uma primeira temporada tão magnífica que simplesmente a sua sequência não consegue superá-la.

Se foi por mudança no elenco, falta de ideias, uma história entediante, ou tudo isso e mais um pouco, essas segundas temporadas falham em cumprir a promessa da primeira. Em alguns casos, a recepção é tão negativa que pode ser fatal, com avaliações despencando que levam a um inevitável cancelamento.


Abaixo, trazemos 10 exemplos de séries como Jessica Jones e The Handmaid’s Tale que estavam bem hypadas, mas que floparam em seu segundo ano:

10. Heroes

A primeira temporada de Heroes teve seus problemas, mas no geral foi recebida, resultado que infelizmente não conseguiu ser repetido na segunda temporada.

A greve dos escritores em 2007 e 2008 afetou a produção do segundo ano, resultando em apenas 11 episódios ao invés dos 24 do plano inicial. Com menos episódios, é de se imaginar que a trama foi acelerada e focada na ação, mas não foi nada disso que aconteceu.

Em vez de uma emocionante história em quadrinhos de super-heróis trazida à vida para a televisão, os fãs tiveram que aguentar episódios lentos e a introdução de uma série de novos personagens a um elenco que já era bem recheado.

Ainda assim, Heroes conseguiu sobreviver por mais duas temporadas até chegar ao fatídico cancelamento devido à queda de audiência.

9. Jessica Jones

Assim como seus outros companheiros de Os Defensores, Demolidor e Luke Cage, Jessica Jones flopou na 2ª temporada. As críticas de todas as três séries ficaram abaixo do que em suas temporadas inaugurais, e Jessica foi a que mais desapontou.

Não que a segunda temporada tenha sido ruim, mas ela passou longe de entregar tudo aquilo que prometia após o ano inaugural, que teve um estilo único, ritmo acelerado e talvez um dos vilões mais legais das séries da Marvel, Homem-Púrpura (David Tennant).

A 2ª temporada não teve nada disso. Pelo contrário, como a maioria dos casos, teve problemas com o ritmo e um enredo que demorou para se desenrolar – principalmente nos primeiros episódios. Ainda assim, Jessica Jones voltará para uma terceira remessa de episódios.

8. 13 Reasons Why

O primeiro ano de 13 Reasons Why foi muito controverso, mas também bem recebido. A série conseguiu boas análises e, apesar de alguns momentos obscuros e perturbadores, foi elogiado por abordar questões da vida real que muitos adolescentes tragicamente enfrentam, assim como uma visão mais amadurecida e realista da adolescência do que muitos programas.

O segundo ano se vendeu como “As fitas foram só o começo”, o primeiro sinal de desespero de uma série com uma história que não necessariamente precisava se estender, e foi exatamente isso que aconteceu.

Katherine Langford e Dylan Minnette tiveram atuações que deixaram 13 Reasons Why no mesmo nível, mas a constante aparição do fantasma de Hannah arruinou muito do que a série trabalhou duro para construir na sua primeira temporada para criar uma trágica história de amor entre o casal e alguns episódios são excessivamente lentos.

Ainda teremos uma terceira temporada que precisará ser muito boa para justificar uma continuação.

7. The Handmaid’s Tale

Assim como 13 Reasons Why, The Handmaid’s Tale teve a sua primeira temporada baseada em um romance e terminou no mesmo período da história original, o que significa que sua continuação foi totalmente nova. E assim como a história de Hannah, não havia necessidade de uma sequência.

Um dos grandes problemas da 2ª temporada foi o aumento na violência. O tema feminista foi muito forte na primeira temporada e serviu para contrabalançar seus momentos mais duros, mas em sua sequência ela é quase que gratuita e cruel, colocando June em situações miseráveis uma atrás da outra.

Não que os mocinhos precisem ter finais felizes sempre, mas ver June tendo tantas oportunidades de escapar e falhando em todas elas, parece mais com os escritores tentando estender a história do que qualquer crítica política sobre a cultura misógina.

6. Lost

Hoje em dia temos mais grandes séries do que somos capazes de contar, mas no início do milênio os grandes orçamentos eram destinados somente para Hollywood e não para a televisão. Lost foi um dos primeiros a mudar isso e sua primeira temporada foi quase perfeita.

Com uma história incrível, personagens profundos, suspense, uma boa mistura de ação e mitologia e inúmeros mistérios Lost chegou com tudo, mas foram esses mesmos mistérios que carregaram o programa para sua segunda temporada e isso não foi bom.

A inclusão de alguns personagens ajudou a decepcionar os fãs. Ainda que Harry e Gale tenham caído nas graças da audiência, Libby e Ana Lucia tinham pouco para oferecer. Além disso, outros como Charlie e Claire sofreram com pouco desenvolvimento, mas mesmo com tudo isso Lost durou mais quatro temporadas, todas elas com queda de qualidade.

5. Twin Peaks

A 2ª temporada de Twin Peaks teve muitos bons momentos, mas em termos de ritmo foi um grande problema se comparado com o ano inaugural. Muitos também não gostaram das cenas no ‘Quarto Vermelho’ e o desenvolvimento sobrenatural que se tornou frequente.

Diferente do comum, a segunda temporada começou bem, mas foi piorando enquanto a história se desenrolava. Os fãs acreditam que a série desandou quando descobrimos quem matou Laura Palmer. Depois disso, parece ter perdido um pouco o seu objetivo, resultando em tramas que não levavam a lugar nenhum.

Problemas executivos influenciaram a gerar as questões que o novo ano trouxe. 25 anos depois, Twin Peaks: O Retorno conseguiu fazer com que o programa voltasse à sua forma, recebendo muitas críticas positivas e indicações a prêmios.

4. The Walking Dead

Uma das séries mais assistidas e bem avaliadas da atualidade, The Walking Dead decepcionou até seus fãs mais assíduos. Se você não se lembra, é na 2ª temporada que Rick e seus amigos chegam à fazendo de Hershel, onde passam muito tempo com a tediosa busca por uma garotinha desaparecida que durante todo esse tempo estava morta.

Os mortos-vivos gradualmente foram perdendo importância e a saída do showrunner Frank Darabont fez com que The Walking Dead perdesse um pouco da sua aura sombria para se transformar em uma novela.

O segundo ano foi um dos piores de audiência apesar de ter recebido boas críticas. As avaliações têm caído nas últimas temporadas, mas o programa estreará sua 9ª temporada em outubro.

3. True Detective

A 1ª temporada de True Detective foi simplesmente genial. Por isso, não foi surpresa quando um novo ano foi encomendado. O que surpreendeu foi a qualidade que não conseguiu corresponder às expectativas.

As atuações de Colin Farrell, Rachel McAdams e Taylor Kitsch foram igualmente boas como as de Woody Harrelson e Matthew McConaughey na primeira temporada, mas o resto não conseguiu ser legal.

Os diálogos eram constantemente fracos, enquanto a história era clichê e confusa, resultando na falta de suspense, profundidade e personalidade. Michael Lombardo, Presidente de Programação da HBO, admitiu que acelerou os roteiristas, não dando a eles tempo suficiente para desenvolver uma história. A lição foi aprendida e a 3ª temporada está em desenvolvimento.

2. Once Upon A Time

A primeira temporada de Once Upon A Time trouxe algumas ideias interessantes que a fizeram ser agradável do início ao fim. Apesar de seus altos e baixos, o resultado final foi um roteiro muito bem escrito e um final emocionante. Os fãs gostaram de como contos de fadas clássicos foram apresentados de forma moderna e às vezes feminista.

Alguns desses elementos se manteve na 2ª temporada, mas o programa ficou ainda mais inconsistente. Alguns episódios foram seguidos por uma série de fracassos e muito da história original foi substituído por clichês e história enlatadas.

Alguns novos personagens não foram tão bem recebidos e fãs se decepcionaram com o que esperaram por tanto tempo. Ainda assim, Once Upon A Time teve audiência suficiente para sobreviver por mais sete temporadas, com as avaliações caindo a cada novo ano.

1. Prison Break

Talvez esse seja o caso mais claro de flop de uma série televisiva. Prison Break começou tão forte, mas sofreu com uma segunda temporada que quase culminou em seu cancelamento.

A 1ª temporada acompanha Michael Scofield e o seu plano extremamente elaborado para livrar seu irmão e alguns outros presos da Fox River State Penitentiary.

Ela termina com o grupo concluindo a missão com sucesso e começando suas novas vidas como fugitivos. Deste ponto em diante, parece que os roteiristas se olharam e perguntaram “E agora?” As idéias eram claramente escassas e a adição de conspirações do governo em várias camadas e agentes duplo transformaram o programa em uma total confusão.

Fora da prisão, Prison Break perdeu seu rumo. Sem muita surpresa, a terceira e quarta temporadas jogaram alguns personagens já conhecidos em diferentes cadeias para tentar voltar às suas origens, mas sem muito sucesso. Um revival recente dividiu a opinião dos fãs, mas ainda assim conseguiu mais uma temporada que está em produção.