O remake de O Rei Leão pode trazer leões bem realistas em aparência, mas em termos de comportamento, eles são bem diferentes da realidade, obviamente. A intenção do filme, afinal, não é ser um programa do Discovery Channel.

Ainda assim, a título de curiosidade, o ScreenRant trouxe uma lista dos maiores ‘erros’ (que não são erros, e sim liberdades artísticas) da Disney acerca do comportamento dos leões em O Rei Leão.


Várias alcatéias

A coisa mais próxima dos hábitos de leões de verdade que vemos em O Rei Leão é a decisão de Simba em fugir após a morte de Mufasa.

Com as leoas sendo o sexo dominante na vida real, os machos não necessariamente ficam com a mesma alcatéia a vida toda. Isso, de fato, é uma questão de sobrevivência da raça, para que seja garantida a diversidade genética.

Obviamente eles não entendem isso, mas já faz parte do instinto.

Já em O Rei Leão a história acabaria se Simba não retornasse, claro.

Jubas pretas

As jubas dos leões são a marca de superioridade genética, virilidade e habilidade de caça, servindo como indicativo às fêmeas da força de seu parceiro. A cor preta, na realidade, é desejada pelas leoas, indicando que se trata de um leão mais saudável, forte.

Ainda que o remake de O Rei Leão não mostre um leão de juba preta (no original, é Scar que tem uma dessas), todos os leões que vemos têm jubas mais claras. Isso certamente não é um bom sinal para as fêmeas da Pedra do Rei.

Caso O Rei Leão fosse um pouco mais realista, tanto Mufasa, quanto Simba, teriam jubas com traços pretos ao menos.

As fêmeas mandam

Os leões essencialmente vivem em uma sociedade matriarcal. As fêmeas ‘governam’ suas alcatéias e não o macho, como é o caso do filme original e do remake. Isso se encaixa com o fato dos machos não permanecerem na mesma alcatéia.

Por sinal, se uma alcatéia ficar grande demais, é uma das fêmeas que acaba formando um novo grupo.

Caso O Rei Leão seguisse por esse caminho, teríamos uma história sobre Sarabi e Nala, ao invés de Mufasa e Simba!

Um leão comeria um javali e suricato

Em O Rei Leão, Timão e Pumba não só viram amigos de Simba, como criam o leãozinho. Na vida real, no entanto, Simba acabaria comendo os dois – eventualmente.

De acordo com a National Geographic, leões consomem por volta de 20 kg por dia e podem comer até 100 kg de carne por dia se quiserem. É muita comida.

Então, ainda que a relação de Timão, Simba e Pumbaa seja algo legal de se ver, eles provavelmente seriam devorados na vida real.