Graças ao sucesso bilionário de Aladdin, a Disney anunciou nas últimas semanas que está estudando formas de fazer uma continuação. Se tudo seguir como o esperado, é provável que o estúdio olhe para O Retorno de Jafar, uma das continuações originais da animação.

Porém, há alguns elementos que a Disney precisa tomar nota para um novo filme, e separamos uma lista de sugestões e críticas.

Confira abaixo.


Não se prender a O Retorno de Jafar

Diferentemente da maiora das animações que a Disney recria no live-action, Aladdin tem boas continuações. Ainda assim, por mais que O Retorno de Jafar seja uma bela história, não precisa ser seguida religiosamente no cinema; afinal, o próprio Aladdin se deu bem ao fazer alguma mudanças bem-vindas na história original.

Direção musical melhor

Guy Ritchie fez um trabalho competente na direção de Aladdin, mas todos podemos concordar: os números musicais mereciam mais. Não havia muito brilho ou grandiloquência (showmanship, como diriam os gringos), e o diretor ainda apostou em elementos repreensíveis, como imagem acelerada e cortes excessivos. A continuação precisa melhorar isso.

Mais Naomi Scott

A grande revelação de Aladdin certamente foi a Jasmine de Naomi Scott. Não só pelo papel mais forte e relevante da princesa na história, mas pela excelente e carismática atuação da atriz, que é também uma grande cantora. Mais, por favor.

Mais canções originais 

Todas as icônicas canções de Aladdin ganharam releituras fabulosas com a ajuda de Alan Menken no remake live-action. Mas sinceramente? Era “Speechless” que não parava de tocar no replay da minha playlist. Foi a única canção original do novo filme, demonstrando o talento da dupla Benj Pasek e Justin Paul. Uma continuação se beneficiaria de mais canções inéditas.

Will Smith voltando a ser Gênio

O remake live-action de Aladdin é esperto ao trazer mudanças no final da história, mas criou um problema para a sequência: como ter o Gênio de Will Smith de volta se ele agora é humano? O charme está no ator em sua forma mágica e os poderes, mas colocá-lo como Gênio novamente trairia sua jornada no original. Um problema difícil de se resolver.

CGI melhor

Todos se lembram da polêmica em torno do quão ruim era o visual de Will Smith como Gênio nos trailers de Aladdin, certo? O filme final até melhorou a renderização, mas a Disney certamente poderia investir mais capital no departamento de efeitos visuais na continuação; até porque Jafar merece algo ameaçador.

Um novo Jafar

Se há um elemento em que todos podemos concordar de pés juntos é que o Jafar live-action ficou simplesmente horrível. Tanto o ator Marwan Kenzari quanto a direção merecem culpa aqui, e se Jafar realmente for o centro das atenções na continuação, ele precisa ser completamente renovado – da escalação à escrita.

Desenvolver Aladdin

Mena Massoud fez um bom Aladdin no primeiro filme, e seu arco dramático foi bem estabelecido. Isso precisa continuar em evolução no segundo filme, e continuar a oferecer desafios para o protagonista, talvez na responsabilidade de cuidar de um reino ao lado de Jasmine.

A continuação de Aladdin ainda não foi oficializada pela Disney, tampouco tem data de estreia.