Seguindo uma tendência mundial, a Disney e seus produtos vêm se tornando cada vez mais progressiva, investindo em representatividade, respeito e inclusão.

Mesmo com algumas polêmicas e escândalos em seu passado, a empresa vez fazendo o possível para se adequar ao cenário social da atualidade.

Muito ainda precisa ser alcançado para um mundo mais moderno e igualitário, onde todos se respeitem, porém a companhia vem dando passos corretos nos últimos anos.


Casais LGBTs

Em Procurando Dory e Frozen, são mostrados casais LGBTs. Eles aparecem rapidamente, mas mesmo assim, são importantes em um panorama geral. A inclusão ajuda a normalizar relações de amor e companheirismo para os pequenos.

A piada cortada de Toy Story 2

Recentemente, a Disney cortou uma piada de Toy Story 2. Na cena em questão, Pete promete a um grupo de Barbies papéis em um filme, fazendo referência ao infame “teste do sofá”. Na era do #MeToo, nada mais justo que excluir algo tão inadequado e desnecessário.

Frozen

Frozen fez história ao subverter o clichê do “amor verdadeiro”. Na maioria das histórias, esse amor só é associado ao romance (de personagens heterossexuais), e no filme, ele se apresenta como o amor das irmãs Anna e Elsa.

Andi Mack

Andi Mack foi a primeira série do Disney Channel a contar com um personagem se assumindo gay. Na série infanto juvenil, Cyrus passa pelo delicado processo de sair do armário e é aceito de coração pelos amigos.

Bo Peep em Toy Story 4

Nos primeiros filmes de Toy Story, Bo Peep aparece apenas como um interesse romântico de Woody, não tendo nenhum arco específico e existindo apenas para suspirar pelo boneco. Em Toy Story 4, ela se reinventa e assume o controle de sua situação, se tornando uma verdadeira heroína.

Temas sociais

Nos últimos anos, várias séries e filmes da Disney refletem temas sociais. Em Zack e Cody, os protagonistas são criados por uma mãe solteira. Em Boa Sorte, Charlie!, um casal LGBT é apresentado. Em relação às diversidade étnica, As Visões da Raven, Cheetah Girls e Twitches se destacam. Além disso, o filme Zootopia é uma grande alegoria para diversos assuntos sociais.

Jasmine

Nas novas adaptações live-action de clássicos da Disney, a companhia corrige alguns erros de suas histórias originais. A modernização aconteceu em Cinderela e A Bela e a Fera, mas foi ainda melhor vista em Aladdin. No filme, Jasmine é uma princesa realmente feminista, um grande exemplo para jovens garotas (e garotos!).

Ariel

Provocando a ira de trolls, racistas e gente ruim no geral, a Disney escalou uma atriz negra para interpretar Ariel na futura adaptação live-action de A Pequena Sereia. Halle Bailey é uma ótima atriz e excelente cantora, e deve fazer um ótimo trabalho como Ariel.

Moana

Moana conquistou o coração do mundo inteiro ao mostrar uma heroína confiante, esperta e que não precisa de ser salva por um homem para alcançar seus objetivos.

A primeira princesa LGBT

Ainda não aconteceu, mas fãs apostam que Frozen 2 vai estabelecer Elsa como a primeira princesa LGBT da Disney.

Saiba mais sobre a Disney+ e as suas séries no Observatório de Séries.