Desde o lançamento dos primeiros filmes, o DCEU vem sendo envolvido em polêmica e confusões. As decisões da Warner desagradaram muitos fãs, e os bastidores de diversos filmes foram repletos de desentendimentos e problemas.

Com Mulher-Maravilha, Aquaman e Shazam!, o DCEU parece ter encontrado um novo caminho, mas nem mesmo estes filmes estão a salvo das polêmicas.

O site Grunge listou os maiores escândalos, polêmicas e controvérsias envolvendo o DCEU e seus filmes; confira abaixo!


O novo Superman

Após o sucesso da trilogia do Batman de Christopher Nolan, a DC tinha uma missão e tanto pela frente com os novos filmes do Superman. Zack Snyder decidiu retratar o Superman de uma maneira quase tão obscura quanto Nolan havia feito com Bruce Wayne. Infelizmente, o resultado foi bem diferente. Como Batman sempre foi um herói mais soturno e lúgubre, o tom obscuro de Nolan funcionou muito bem. O Homem de Aço de Snyder e Henry Cavill, no entanto, ignorou um dos aspectos mais importantes do personagem nas HQs: seu otimismo, confiança na humanidade e bondade literal. A mudança desagradou muitos fãs, que não reconheceram o Superman que conheciam e amavam na interpretação séria de Henry Cavill.

Uma declaração inoportuna

A rivalidade amigável entre a Marvel e a DC sempre foi conhecida pelo público. Por isso mesmo, uma declaração de David Ayer, o diretor de Esquadrão Suicida, provocou muita polêmica. Após afirmar na Comic-Con que a DC tinha os melhores vilões, Ayer provocou a ira dos fãs do MCU ao gritar “f*da-se a Marvel!” na estreia mundia do longa.

Sexismo

Em outro item relacionado a Esquadrão Suicida, o filme foi criticado por ser sexista em sua caracterização da Arlequina. Além de romantizar o relacionamento abusivo da personagem com o Coringa, o filme criou um visual extremamente sexualizado para a vilã.

Bat-Affleck

Quando foi anunciado que Ben Affleck iria interpretar o Batman nos filmes do DCEU, fãs perderam a cabeça. De acordo com o site da Variety, em menos de 24 horas mais de 30 petições pediam outro ator como o herói. Com o tempo, o público se acostumou com o Bat-Affleck, e sua performance foi um dos poucos elementos de Batman vs. Superman que conquistaram o público.

A despedida de Zack Snyder

O DCEU como conhecemos hoje deve grande parte de suas característica à Zack Snyder. O Universo foi concebido e lançado pelo diretor, e todos esperavam que ele permanecesse na franquia até o final. Por isso mesmo, sua saída em plena produção de Liga da Justiça surpreendeu tanto os fãs. Segundo o The Hollywood Reporter, o diretor deixou a Warner em luto pelo suicídio de sua filha de 20 anos. No entanto, o site Polygon afirma que o diretor já havia sido demitido meses antes de sua saída “oficial”.

Liga da Justiça

A produção de Liga da Justiça começou literalmente semanas depois da estreia de Batman vs. Superman. Além da saída de Zack Snyder, o filme foi extremamente prejudicado por extensas refilmagens, crescente custo de produção e divulgação e a estranha pressa da Warner para lançar o longa. O motivo dessa pressa não poderia ser mais decepcionante: dinheiro. Segundo o site The Wrap, a Warner Bros estava pronta para absorver a AT&T em outubro de 2016. Nessa época, a produção de Liga da Justiça estava no mais absoluto caos, e o lançamento do filme provavelmente teria que ser adiado em mais ou menos um anos. Assustados com a possibilidade de não receberem bônus financeiros após a fusão, os executivos dos estúdio forçaram o lançamento precipitado do filme.

O bigode

Devido a uma obrigação contratual, Henry Cavill não pôde raspar seu bigode para as gravações de Liga da Justiça. Como alternativa, a Warner resolveu apagar o bigode com computação gráfica. No entanto, o resultado não ficou tão bom assim. Fãs logo perceberam o aspecto estranho da boca de Henry Cavill, e incidente acabou virando um meme.

Jared Leto

Na época da produção de Esquadrão Suicida, portais de notícias se enchiam de manchetes sobre o comportamento de Jared Leto no set. O ator estava incorporando o Coringa por meio de um método conhecido como atuação metódica. Para isso, Leto “era” o vilão mesmo fora das gravações. O ator supostamente “presenteou” seus colegas de elenco com sangue, camisinhas usadas, animais mortos e brinquedos sexuais. O método aparentemente não funcionou, e a performance de Leto no filme foi avaliada como ao mesmo tempo exagerada e decepcionante.

A demissão de Brett Ratner

Brett Ratner era um cara poderoso, dono da companhia de produção RatPac-Dune Entertainment. O produtor tinha um acordo com a Warner que envolvia o co-financiamento de alguns filmes, entre eles Mulher-Maravilha. Em 2017, foi revelado que Ratner era um infame assediador de mulheres, atacando atrizes como Ellen Page e Olivia Munn. Logo após a revelação Gal Gadot (supostamente) se recusou a interpretar Diana caso Ratner não deixasse a produção. Foi isso que aconteceu, e Ratner teve seus laços com a Warner cortados.