Após uma temporada de sucesso no MCU, o Homem-Aranha vai voltar a ser uma propriedade isolada da Sony, após o rompimento da empresa com os Estúdios Marvel. Tom Holland vai continuar interpretando o personagem, e os fãs estão preocupados com o futuro do personagem.

O Homem-Aranha de Tom Holland tem grande potencial na Sony, podendo ter algumas de suas melhores aventuras dos quadrinhos adaptadas para as telonas.

Isso caso a empresa tenha aprendido com os erros do passado e das duas encarnações anteriores do personagem. O site Screen Rant listou os maiores erros da Sony nos filmes do Homem-Aranha; confira abaixo!


A mesma história

Nos filmes do MCU, as histórias do Homem-Aranha eram dinâmicas e criativas pois estavam ligadas a outros personagens e uma trama maior. Nas duas franquias do Homem-Aranha da Sony, a mesma história parecia ser reciclada em todos os filmes. Mary Jane sempre precisava ser salvar pelo herói, um novo vilão sempre era introduzido e contava com uma relação familiar ou pessoal com o Aranha.

Venom

O terceiro filme da franquia do Homem-Aranha de Sam Raimi foi a mais criticada, principalmente pela maneira como Venom foi incluído. No roteiro original, Eddie Brock tinha mais tempo de tela e a introdução do personagem era mais interessante. Porém, para agradar os fãs e aumentar o lucro, a Sony mexeu no roteiro e limitou o arco de Venom. O resultado foi uma trama apressada que parecia extremamente fora do lugar.

Muitos vilões

A tendência de introduzir diversos vilões de uma vez nos filmes do Homem-Aranha começou no terceiro filme de Sam Raimi, no qual o Homem-Areia, Duende Verde e Venom lutavam por tempo de tela. O mesmo aconteceu em O Espetacular Homem-Aranha 2, com o Duende Verde (de novo), Electro e Rhino.

O uniforme

O uniforme do Homem-Aranha nos filmes da Sony também foi criticado. Na encarnação de Tobey Maguire, elas pareciam amadoras, o que fazia sentido dado o contexto da trama. Nos filmes de Andrew Garfield as cores pareciam estranhas.

A morte do Tio Ben

A morte do Tio Ben foi um dos pontos principais repetidos nas duas franquias do Homem-Aranha. Usar o personagem mais de uma vez é um erro básico, pois o público já é familiarizado com essa história de origem. O MCU fez bem em se manter longe do personagem.

Os pais de Peter Parker

Outro erro clássico da Sony no Homem-Aranha em tentar fazer com que o público se importe com Richard e Mary Parker, os pais do herói. A razão pela qual os personagens são omitidos da maioria das histórias do personagem é simples: ninguém liga.

O tom

Todas as aparições do Homem-Aranha no MCU tem como constante um tom cômico e irreverente, tanto nos filmes solo quanto nos projetos maiores. Nos filmes da Sony, no entanto, o tom é bem inconsistente. Os filmes variam com muita facilidade entre a tragédia, a comédia, e algo entre as duas. Como grande exemplo disso vem a cena do “Peter Parker Emo” em Homem-Aranha 3, uma das mais criticadas até hoje.

Desenvolvimento

Vários personagens importantes dos quadrinhos foram introduzidos nos filmes do Homem-Aranha e não foram a lugar algum. Norman Osborn, Felicia Hardy, Donald Menken, todos aparecem mas suas tramas não são resolvidas e nem fazem diferença na história.

Fim prematuro

Com a saída do Homem-Aranha do MCU, fãs não poderão ver o resultado da cena pós-créditos de Homem-Aranha: Longe de Casa. Ironicamente, a Sony também tem a tendência de terminar prematuramente as tramas do herói. Após Homem-Aranha 3, o relacionamento de Peter e Mary Jane ficou no ar. Além disso, a trama do surgimento do Sexteto Sinistro foi sugerida mas nunca aconteceu.